terça-feira, novembro 29, 2005

OLHO SECO - CLÁSSICOS DO BRASIL ANOS 80





ESTA BANDA JÁ TEVE UMA PASSAGEM POR PORTUGAL,AQUI HÁ UNS ANOS,DANDO UM CONCERTO NA CASA OCUPADA DA PRAÇA DE ESPANHA.ALGUNS DOS MEMBROS DELES PARTICIPAM DOS AGROTÓXICO.
DE MENCIONAR QUE MUITAS BANDAS PORTUGUESAS FAZIAM VERSÕES DELES,SOBRETUDO DOS TEMAS ISTO É OLHO SECO(FORAGIDOS DA PLACENTA/SARNA),OLHO DE GATO(SUBCAOS),NADA(MAD).
É SEMPRE BOM OUVIR OLHO SECO,PORQUE SÃO MESMO CLÁSSICOS!!!
SO FUCKING WHAT????


segunda-feira, novembro 28, 2005




AQUI TEMOS UMA ÓPTIMA BD PUNK DE EDIÇÃO ESPANHOLA.
PARA QUEM NUNCA LEU O PETER PANK,ACONSELHAMOS VIVAMENTE POIS É UM SUPER CLÁSSICO .
PETER PANK E O SEU FACALHÃO SANGRENTO ATERRORIZANDO A ALDEIA HIPPIE E FODENDO A FILHA AO CHEFE HIPPIE ,ENQUANTO VAI ESPANCANDO OS ROCKABILLIES MAIS A SUA LEGIÃO DE PUNKS MITRAS. UM DELES SEMPRE AGARRADO AO BALDE DA COLA...AHAHA



About dead boys

The Dead Boys were one of the first punk bands to escalate the level of violence, nihilism, and pure ugliness of punk rock to extreme new levels. Although considered part of New York's mid-70's CBGB's scene, all of its bandmembers originally hailed from Cleveland, OH. The group's roots lay in the early 70's Cleveland cult band, Rocket from the Tombs, which included future Dead Boys Cheetah Chrome (aka Gene O'Connor) on guitar and Johnny Blitz (aka John Madansky) on drums, along with future Pere Ubu members David Thomas and Peter Laughner. The group's sound was a bit too comparable to 'art rock' for Chrome and Blitz's tastes (whose influences included the Stooges, Alice Cooper, and the New York Dolls), and by 1975, Rocket from the Tombs had split up. Chrome and Blitz decided to enlist local singer Stiv Bators (aka Steve Bator), 2nd guitarist Jimmy Zero (aka William Wilden), and bassist Jeff Magnum (aka Jeff Halmagy), and formed a new group more a kin to their musical tastes, dubbed Frankenstein. But the group only managed a handful of local shows before fading away. Noticing that there was an underground punk scene flourishing in New York City's Bowery, the group befriended one of the leading bands from that scene, the Ramones, who had come to Cleveland on a tour stop. At the insistence of Bators, Ramones frontman Joey Ramone helped arrange a tryout for the group at CBGB's, as the whole former Frankenstein band (sans Magnum), made the trek to New York. Not only did the group land a spot at CBGB's, they enlisted the club's owner (Hilly Kristal) as their manager, and signed a recording contract with Sire shortly thereafter. Changing their name to the Dead Boys (from a line in their song, "Down in Flames"), the band caused an immediate splash in their newly adopted hometown, due to Bator's Iggy Pop-esque, audience-bating antics and the group's vicious 3-chord punk rock. The Dead Boys' classic debut, 'Young Loud & Snotty,' was issued in 1977 - produced by rock singer Genya Raven, and with future renowned producer Bob Clearmountain providing bass. But by the time the Dead Boys launched a supporting tour (including opening slots for their hero Iggy Pop in the U.S. and the Damned over in England), Magnum had signed on once more as the group's bassist. Despite receiving a fair amount of coverage in the rock music press, punk was still misunderstood by most rock fans in the U.S., which resulted in the album not performing up to expectations sales-wise (despite spawning one of punk's great anthems, "Sonic Reducer"). The Dead Boys set their sights on their sophomore effort, which was originally to be produced by Lou Reed (with a working title of 'Down to Kill'). But at the insistence of their record company (who was trying to convince the band to soften up their sound a bit to produce a breakthrough hit), the group enlisted former Cream producer (and bassist for early 70's Cream-disciples, Mountain) Felix Pappalardi. The match didn't prove to be a fitting one, as the former hippie didn't understand the sonic onslaught of these young punks, resulting in an album that failed to expand on the promise of their debut (it's been rumored that the group unsuccessfully attempted to convince ex-Stooges guitarist James Williamson to take over the production chores from Pappalardi, in a last ditch effort to save the album). With a new title of 'We Have Come for Your Children,' the album spawned another punk classic in "Ain't It Fun," but the disc sold even less than its predecessor. To add insult to injury, the group was forced off tour for a long period of time, as Blitz was almost killed in a New York City street fight/mugging (a 'Blitz Benefit' concert was held at CBGB's to raise money for the drummer's medical bills, featuring appearances by John Belushi and Divine, as well as members of Blondie, the Ramones, and former Alice Cooper guitarist Glen Buxton). With their record company pressuring the group to change their sound and look completely, the Dead Boys split up in 1979. But just a few months later, the band was forced to reunite for the recording of a live album at CBGB's (due to contractual obligations). To get revenge back at Sire, Bators purposely sang off mic, resulting in an expected unusable recording (when the album was reissued for the Bomp label several years later, Bators re-recorded his vocals in the studio). Despite splitting up once more shortly afterwards, the Dead Boys would reunite for the odd show here and there throughout the 80's. Bators tried his hand at acting in such films as 'Polyester' and 'Tapeheads,' in addition to pursuing a solo career (1980's new wave 'Disconnected'), before joining forces with ex-members of Sham 69 in the group the Wanderers (who issued a lone album, 1981's 'Only Lovers Left Alive'), and ex-Damned guitarist Brian James in the goth-punk outfit Lords of the New Church (releasing several albums between '82 and '88). Having relocated to Paris, France, Bators then attempted to assemble a punk 'supergroup' of sorts, which was to have included Johnny Thunders and Dee Dee Ramone, which fizzled out before any recording could get under way. On June 4, 1990, Bators died from injuries sustained after being hit by a car in Paris. After Bators' death, countless Dead Boys compilations and live/rarity sets were issued, including such titles as 'Twistin' on the Devil's Fork: Live at CBGB's,' 'Magnificent Chaos,' 'Down in Flames,' 'All This & More,' and 'Liver Than You'll Ever Be,' in addition to releases by the pre-Dead Boys outfits Rocket from the Tombs ('The Day the Earth Met the Rocket from the Tombs') and Frankenstein ('Eve of the Dead Boys: October 1975'). Despite only issuing a pair of studio recordings during their brief but colorful career, the Dead Boys' influence on subsequent rock bands continues to be felt to this day, as such acclaimed groups as Guns N' Roses ,Overkill, and Pearl Jam covered their songs in the 90's .

Podem ouvir alguns mp3 deste mitíco grupo americano fazendo um copy paste em:

http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendID=35288102&Mytoken=1156F3AA-58BE-1135-74B166AF4609FFC411313371



De pequenino se torce o pepino...



Uma Bd sobre o épico filme Clockwork Orange.



Votação teta ideal: Qual o vosso tamanho preferido? Deixem o vosso voto em comments




AQUI TEMOS O CARTAZ DO JÁ ANUNCIADO FESTIVAL,CHEIO DE NOMES DE VULTO DA CENA PUNK/Oi! MUNDIAL.

sexta-feira, novembro 25, 2005



UMA FOTO DOS MAD,BANDA LISBOETA QUE TEVE INICÍO EM 1992,FOTO TIRADA COM O AUTOR DESTE BLOG AQUANDO DA SEGUNDA VINDA DOS BRITÂNICOS VARUKERS A PORTUGAL.
NA FOTO ESTÁ AINDA O PRIMEIRO VOCALISTA DOS CRISE TOTAL ,O MANOLO .
PARA QUEM NÃO SABE OS MAD LANÇARAM RECENTEMENTE UM CD EM CONJUNTO COM OS BRASILEIROS DFC E TEEM UM ESPAÇO AINDA EM CONSTRUCÇÃO NO MYSPACE EM:


http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendID=37752914&Mytoken=68A06ACC-8F1C-4B7F-87C04703C2F54E4C1025061859
EM BREVE TERÃO MAIS FOTOS DELES NO MYSPACE E AQUI NO BLOG TAMBÉM ASSIM COMO MAIS TEMAS DA BANDA E IRÁ SE CONSTRUIR UM SITE PARA ELES TAMBÉM.

ENTRETANTO AQUI O BLOG ROCK DAS CADEIAS VAI TER UM MP3 PLAYER NO FUTURO,INSERIDO NO MYSPACE ONDE SE IRÃO TER 4 MÚSICAS DIFERENTES TODAS AS SEMANAS,VISTO EU NÃO ME AJEITAR AQUI COM ISTO DO BLOG E DE CARREGAR TEMAS AQUI.



DOIS NOVOS TEMAS DA BANDA DO AUTOR DESTE BLOG,OS CLOCKWORK BOYS CLICANDO EM :

WWW.MYSPACE.COM/CLOCKWORKBOYS E OS TEMAS QUE PODEM ESCUTAR SÃO:

1-TEENAGE KICKS (UNDERTONES)

2-SOLTA A COBRA QUE HÁ EM TI

ESPERO QUE GOSTEM...

NA FOTO A PROVÁVEL CAPA DO NOSSO LP ...


CUMPRIMENTOS E SAÚDE A TODOS

JAY COBRA

domingo, novembro 20, 2005

A MONSTRA E A BELA



A VELHA TEM MUITO PIMBA PRA DAR!!!





OH MEUS DEUS!!! ESTA TEM TANTO PUNK-ROCK PARA DAR !!! ESTA É PRA MIM A VELHA É PRA VCS!!!

segunda-feira, novembro 14, 2005

Punk & Disorderly 2006


"30 years of punk anniversary"

THE WARM UP @ Tommy Weissbecker Haus

THURSDAY - January 26th

TOWERBLOCKS
CHEMICAL CHAOS
TURBO LOVER


THE FESTIVAL @ Metronom

FRIDAY - january 27th

MAINSTAGE

LOKALMATADORE
DISCIPLINE
THE PARTISANS
999
RED ALERT
CHRON GEN
STOMPER 98


2nd STAGE

GERM ATTACKS
DEFIANCE
DISORDER
TOXPAK
DISTURBANCE
RUN LIKE HELL
MOPED LADS
ULTIMO ASALTO



SATURDAY - january 28th

MAINSTAGE

SHAM 69
BLITZ
CONFLICT
DEADLINE
BIERPATRIOTEN ( LAST SHOW EVER)
OHL
BLAGGERS ITA
BLOOD OR WHISKEY


2nd STAGE

THE PORTERS
THE VOICE
SPECIAL DUTIES
GOLDBLADE
JUDASVILLE
SONDASCHULE
RUN LIKE HELL
MADLOCKS
BOVVER BOYS


SUNDAY - january 29th

MAINSTAGE

THE BUSINESS
CHELSEA
MARK FOGGO AND THE SKASTERS
ARGY BARGY
DRITTE WAHL
THE VARUKERS
EMSCHERKURVE 77


2nd STAGE

SOIFAS
THE NEGATIVES
STAGE BOTTLES
J´AURAIS VOULU
ANALOGS
SS-KALIERT
URBAN REJECTS



NOTA DO BLOG: PODEMOS COMEÇAR AS COMBINAÇÕES,E ARRANJAR UMA COMITIVA PORTUGUESA PARA ESTAR PRESENTE,O BILHETE PARA SEXTA SÁBADO E DOMINGO RONDA OS 60 EUROS,MAIS GASOLINA ENTRE 5 PESSOAS DEVE DAR 60 EUROS A CADA UM,POR ISSO COM 250 EUROS DEVE SER POSSÍVEL IR LÁ CURTIR UM FIM DE SEMANA A SÉRIO A BERLIM.QUEM TIVER VEÍCULOS E QUISER IR COMECE A CHEGAR-SE Á FRENTE,E COMECEMOS A ORGANIZAR GRUPOS.




AQUI VAI UM POST E UMA LETRA DOS SPECIAL DUTIES DEDICADA ÁQUELES QUE TENDEM A FAZER DO PUNK UM PARTIDO POLÍTICO E UM SEM FIM DE RÓTULOS E REGRAS ÉTICAS A SEGUIR!!!FAZIA FALTA BANDAS COM VERDADEIRO ESPIRÍTO PUNK-ROCK COMO OS SPECIAL DUTIES AQUI EM PORTUGAL.
O PUNK É UM MODO DE ESTAR NA VIDA ,COMPLETAMENTE APARTE DO SISTEMA OU DOS "SISTEMAS".
SIM, O PUNK É POR VEZES NIHILISTA,ANTISOCIAL,REBELDE,E DO CONTRA MESMO!!! MAS NÃO É NEM NUNCA FOI "REGRAS" A SEGUIR!!!FODAM-SE AQUELES QUE TENDEM A IMPÔR OS CRITÉRIOS DO QUE É OU DEIXA DE SER PUNK!!!FODAM-SE AQUELES QUE PASSAM A VIDA A BOICOTAR TUDO E ROTULAR TUDO E TODOS!!!
NO FUNDO ESTÃO É A BOICOTAR E DESTRUIR O PUNK!!!
TANTOS BITAITES E BOICOTES ABSURDOS QUE SINCERAMENTE O UNDERGROUND EM PORTUGAL HOJE EM DIA É A COMÉDIA QUE SE VÊ!!!

VIVA EL ROCK LIBRE!!!



Bullshit Crass
Anarchy and peace promote the Crass
But it ain't for freedom, it's just for cash
They don't mean what they say
What they preach, there is no way

Bullshit crass, you've been detected
Duties have your shit rejected
Bullshit Crass, you've been detected
Bullshit Crass, you've been detected
We'll free the punks that you've infected
Bullshit Crass, you've been detected

Crass were the first to say "punk is dead"
Now they're rightly being labelled as Red
Hippies in a commune is what they are
Got no money? Ha! Ha! Ha!

sábado, novembro 12, 2005

Olga dos Toy Dolls faz show com Lambrusco Kids no Brasil em novembro!!!

Michael Algar, mais conhecido como Olga, vocalista e guitarrista da banda inglesa Toy Dolls (www.thetoydolls.com) acaba de confirmar mais um show ao lado dos Lambrusco Kids!

Além do show que acontece em São Paulo (dia 14/nov) no festival Punk Rock Invasion, Olga & Lambrusco Kids farão também um show imperdível na cidade de Pirassununga, interior de São Paulo. O show em Pirassununga acontece no dia 19/novembro, sábado, no Espaço Colonial. As bandas que farão a abertura deste show serão Muzzarellas (www.muzzarelas.com.br), Shileper High (www.shileperhigh.com) e o grande fenômeno techno-punk-rock, a banda paulistana Cansei de Ser Sexy (www.tramavirtual.com.br/cansei).

Portanto, serão 2 shows exclusivos do líder do Toy Dolls no Brasil! Dia 14/nov em São Paulo e dia 19/nov em Pirassununga.

Conforme informado anteriormente, Olga será a grande atração do festival Punk Rock Invasion deste ano, trazendo para o Brasil todo o peso e renome de sua banda Toy Dolls, verdadeira lenda do punk rock inglês, que é sem dúvida uma das mais criativas e bem sucedidas bandas punks de todos os tempos!

A tour brasileira dos Toy Dolls definitivamente não pôde ser confirmada este ano e como tudo indica que a actual tour mundial da banda será a última da sua carreira, dificilmente haverá um show dos Toy Dolls no Brasil novamente. Portanto, essa é a oportunidade única que os fãs brasileiros do Toy Dolls terão de matar sua saudade da banda e poder fazer parte da história do rock, junto com os Lambrusko Kids!

A ideia toda de convidar o Olga para este show especial nasceu depois que desabaram todas as chances do CJ Ramone vir ao Brasil para o Punk Rock Invasion 2005. Então decidimos telefonar para nosso grande amigo Olga, um cara que realmente tem uma enorme relação de carinho e consideração pelo LK e pelo Brasil, e o convidamos para fazer um show especial com a gente. Ele aceitou mais que imediatamente!!!

No set list deste show especial, a banda formada por Olga & LK, ou seja, uma "power punk rock band", com um baterista, um baixista, dois guitarristas e dois vocalistas, irá tocar cerca de 15 clássicos do Toy Dolls, além de uma dúzia de clássicos do punk rock mundial, músicas de bandas como The Jam, Rezillos, Stiff Little Fingers, Angelic Upstarts, Sham 69, Adicts, Cock Sparrer, The Clash, Undertones, Buzzcocks, Dickies, entre outras!!!

A edição especial do festival Punk Rock Invasion, com show de Olga (Toy Dolls) ao lado do LK, acontece em São Paulo, na cultuada casa de shows Hangar 110, no dia 14 de novembro, segunda-feira, véspera do feriado do Dia da República. O festival Punk Rock Invasion 2005 é um evento anual organizado pelo selo e produtora independente Ataque Frontal (www.ataquefrontal.com).

A abertura deste show especial fica por conta da banda alemã Typhoon Motor Dudes (www.typhoonmotordudes.de), além das bandas paulistas Os Excluídos (www.osexcluidos.com) e Kretinos 74 (www.kretinos.com.br).

Os ingressos já estão à venda nas lojas London Calling (www.londoncalling.com.br) e Estrondo (www.estrondohardcore.com.br), em São Paulo.

ambrusco ids
www.lambruscokids.com.br
www.fotolog.net/lambrusco_kids
www.myspace/lambruscokids



RECEBIDO VIA E-MAIL PELOS NOSSOS AMIGOS LAMBRUSKO KIDS,O NOSSO BLOG DESEJA-LHES O MAIOR SUCESSO PARA ESTA AVENTURA PELOS PALCOS COM O OLGA DOS TOY DOLLS E ENVIA-LHES ABRAÇOS .

terça-feira, novembro 08, 2005

FIM DE SEMANA PORTUGUÊS EM TORONTO

PÚBLICIDADE

O primeiro trabalho da extinta banda portuguesa Censurados (de nome homónimo, editado pela El Tatu em 1990) vai estar disponível com o jornal Blitz numa edição no início de dezembro.


Passe a publicidade a este jornal semanal de música, esta é uma oportunidade de adquirir um CD "obrigatório" a um preço acessível (tal como tem vindo a ser proporcionado pelo Blitz em outras edições).



"Censurados" foi um trabalho que marcou uma época na música nacional, bem como um espírito vivido e renascido, que arrastou multidões...



A data definitiva e o preço do CD serão divulgados brevemente.



Está atento!!!



*RECEBIDO VIA E-MAIL POR UM COLABORADOR DESTE BLOG.

segunda-feira, novembro 07, 2005

ANÚNCIO ÁS BANDAS


A IconDiscos vai levar a cabo aquela que é, provavélmente, a maior iniciativa de promoção de novos valores rock Nacionais. A compilação X GENERATION – vol. 1, que consiste num compendio de novas bandas e artistas sem contratos discográficos e é extensível as todas as variantes do género do território Português (incluindo ilhas), independentemente de se expressarem em Inglês ou Português.



O CD será apresentado num luxuoso digipack com booklet contendo todos os detalhes dos projectos envolvidos.



Haverá ainda lugar à X GENERATION CONTEST que, por meio de um júri composto por elementos dos media (rádio e imprensa) elegerá o vencedor do concurso, vencedor esse que verá editado em suporte single o seu tema, tendo ainda o previlégio de lhe ser rodado o respectivo vídeo. A somar ao pack está toda a promoção inerente a estes items.

O projecto vencedor, bem como os 2 lugares vizinhos do ´podium´ apresentam a compilação ao vivo nos palcos das lojas Fnac de todo o país e serão a cara deste evento para o ano 2006.



Todos os projectos interessados devem remeter CD com 2 temas originais, uma foto e respectiva Bio para a sede da IconDevelopement – Rua Gonçalo Sampaio, 271 – 4º Dto

4150-367 Porto



A recepção de Demos termina a 16 de Novembro de 2005 e os resultados serão divulgados no website oficial da compilação – www.xgeneration.pt.vu



Mais informações e regulamento devem ser solicitadas para o e-mail xgeneration@oninetspeed.pt



O 1º volume da X GENERATION sairá ainda em 2005, por alturas do Natal.



Agradecemos desde já toda a ajuda na divulgação e pedimos que, caso o façam, nos reportem para figurarem na nossa lista de contactos envolvidos.



P.S. Em anexo segue a imagem para o Digipack.





Atentamente,




Icondevelopment group

IconDesign | ID-Agência | IconDiscos
Rua Gonçalo Sampaio, 271 4º Direito
4150-367 - Porto
T. 220305116 | F. 220305119
www.icondesign.web.pt | id-agência@mail.com
PATTY E WENDY NA FOTO





HISTÓRIAS DO TONY CIGANO


CAPÍTULO II

-Tony cigano juntamente com os seus cúmplices acabava de dar uma golpada perfeita. Era agora tempo de apagar pistas e levar á risca o plano que ele tinha idealizado na sua mente criminosa e pouco escrupúlosa,o que implicava deitar fogo ao velho armazém no cais e rumarem depois então á Curraleira onde Tony cigano tinha uma barraca a caír de podre e então tratarem das partilhas , e lá foram eles no velho datsun preto já meio enferrujado do "pintas" Tony.
-Ao chegarem á barraca começam a beber a convite de Tony,pois este estava a fazer uma jogada e a tentar ganhar tempo até engendrar uma solução com vista a ver-se livre dos dois labregos que lhe calharam como cúmplices,o “Zarolho” e o “Alancador”,dois bandidecos de ocasião,de profissão estivadores e de passado e presente, já agora ,bastante suspeitos e duvidosos.
Tony abre então o pequeno “frigo” ao canto da sala e vislumbra-se uma porrada enorme de cervejas,para além dos posters porno por cima do frigorífico,com títulos tão sugestivos como, “shaved and ready,”I´m all for you”,”wanna lick you on”,”ride on me”,e por aí fora,Tony já só pensava em putaria,e em ir-se embora dali livre ,sem aqueles dois labregos vistosos,um Zarolho vestido de negro ,e um Alancador meio corcunda e de cabelo seboso e pastoso de calças de ganga sujas e sebosas, e camisa havaiana espampanante.
-Ainda a noite vai no adro,e o Zarolho e o Alancador estão já a ficar bem embriagados,e é então que Tony lhes diz:
-Vamos fazer as partilhas!!! -E saca do machado que tinha escondido atrás da porta da barraca 27 na Curraleira, e compõe ali uma ópera sinfónica fazendo a clássica película da série B "Texas chainsaw massacre" parecer um romance de amor.
-Tony cigano acabou com a vida aquelas duas pobres almas,mais que certo passarem a maior parte das suas vidas atrás das grades dada a sua ignorância no Mundo do crime,pequenos ratinhos perto do grande abutre do Tony.
-Agora colocáva-se-lhe a questão do que fazer com aqueles pedaços de carne antes vidas, e agora apenas meros puzzles desconjuntados tal a brutalidade dos golpes de Tony.
-Pensou para consigo,talvez não fosse má ideia cortá-los ainda mais aos pedaços ,embrulhá-los e abandoná-los numa mata distante…
-Talvez fazer dos corpos bifanas e organizar um churrasco na Curraleira , livrava-se dos corpos,e ainda ficava bem visto na socialite plebeia do bairro de lata…
-Tony decide optar pela segunda opção.
-Em seguida troca de roupa e veste o seu melhor fato,sim aquele mesmo o branco,e mete uma camisa havaiana bem colorida e que dê bem nas vistas para as garinas dos bares do cais poderem reparar melhor nele, penteia bem a sua permanente ,coloca a brilhantina no cabelo e puxa-o para trás,mete os seus óculos Ray Ban dourados,o seu brinco da sorte,o da argola de ouro com o crucifixo que protege os audazes,e faz-se á estrada para ir curtir para as boîtes do Cais Sodré.
-Ali está ele,Tony,um homem acabado de cometer um crime perfeito pelo menos até aquele momento, ali sentado ao balcão do bar “Scandinavia” a beber um whisky velho e a fumar um charuto barato comprado nas tascas da curraleira.
-É então que se aproxima dele uma loura bonita,e já algo alcoolizada:

-Olá Cowboy! – Ofereces uma bebida ?
-Que ofereces tú em troca?
-Aquilo que tú quiseres,e o que jamais imaginaste…
-Como te chamas?
-Eu sou a Patty.
-Estás sozinha?
-Sim.
-Eu sou o Tony cigano.-Pede o que quiseres .
-Obrigado quero o mesmo que tú.
-Ela começa então a caír cada vez mais pra cima de Tony,e a levantar a asa,pra cima dele,Tony está ali ao balcão deliciado a gozar as delícias de quem está na pele de afortunado,pelo menos por esta noite.
De repente chega-se perto um homem alto e forte ,com uma cicatriz enorme na cara,conhecido ali nos bares do cais pelo nome de Estrela,de quem se fala já ter morto várias pessoas pelos motivos mais fúteis e apenas por não ir com as suas caras e vira-se pra Tony e diz em tom bruto:

-Essa puta é pra mim!!!
-Tony não pensa duas vezes, e agarra no banco no qual estava sentado e ataca aquela besta enorme da maneira que pode,com o que Tony não contava era que o Estrela estivesse acompanhado de mais dois bandidecos famosos por aquelas bandas,o Gato Vadio e o Manecas,Tony vê-se então numa luta envolvente ,apaixonante e brutal, pela sobrevivência do mais forte,numa luta deveras enpolgante e capaz de rivalizar com as antigas películas do Bud Spencer,e Tony safa-se bem da luta,mas não sem antes levar uma chinada na cara também e ficar marcado para a vida toda, mas de qualquer forma sai vencedor daquela situação apesar de deixar para trás um rastro de destruição no bar e ser corrido dali para fora aos berros pelo dono do "Scandinavia" , que ele não era mais bem vindo ali e "bla bla bla".
-Azar também não é ele o dono,pensou Tony em gargalhadas silenciosas e bares há muitos e putas ainda mais.
-Na verdade Tony sai que nem um senhor daquela situação,pois aviou três gajos conceituados no meio dos ladrõezecos reles do Cais Sodré,como ainda levou a puta mais bonita da Boîte e uma amiga desta , essa é que é a verdade.



Cenas do próximo capítulo:

Tony leva Patty e uma amiga de nome de “serviço” Wendy para uma pensão e tem uma aventura sexual escaldante.Na pensão passam-se coisas a fazer lembrar o génio do crime Vitorino da Piedade Nunes,segundo parece familiar da estrela da musica pimba Leonel Nunes,figura vip dos arraiais das aldeolas portuguesas.Tony no fim de semana seguinte oferece um churrasco no bairro da Curraleira.










TEXTOS DA AUTORIA : JAY COBRA
CRÉDITOS DAS FOTOS :SR.ZÉ STRUMMER
TONY CIGANO


domingo, novembro 06, 2005

As histórias do Tony Cigano

CAPÍTULO I


São 6:45 duma qualquer manhã,numa maternidade duma esquina de avenida movimentada ouve-se um choro desenfreado no meio de gritos histéricos duma qualquer puta esquecida pelo tempo e pelo amor numa cama de hospital,é então que pela primeira vez vem ao Mundo dizer bons dias em forma de desespero e choro, o nosso pequeno Tony,nome herdado do pai,um qualquer gigolo de esquina e vigarista de avenida fina.
-Oh... é tão lindo exclamam as enfermeiras gordas e feias como que invejando o pobre rapaz que nasceu belo por acaso ,pena não se ter certezas quanto ao Pai para se poder dizer ohhh…sai mesmo ao pai,é a cara do Pai e os olhos da mãe,aquelas tantas baboseiras costumeiras nestas ocasiões…Pois é agora começa então a nossa história…Não falemos da Infância desta pobre alma,pois é de calcular que tenha sido em orfanatos e reformatórios vários,fugas,porradas,facadas,negócios escuros,conhecimentos letra a letra do Mundo do crime,enfim,o curso completo com direito a nota distinta no meio de tantos "professores" lobos grandes e famintos.
-Tony vê-se finalmente com 18 anos,e é corrido finalmente do reformatório e obrigado a procurar o seu galho como cada macaco o tem de fazer nesta selva urbana tão humana e própria para habitar.
-Tony decide vestir o seu melhor fato,um fato branco bem engomado,calçar os seus sapatos de verniz,e pentear a sua permanente,que causava inveja a qualquer homem de Mullet,Tony era um homem brilhante,pois pudera,com tantos kilos de ouro em cima,é normal diziam alguns dos seus amigos.
-É então nesse momento que Tony decide ir procurar emprego pelas docas do cais,e depois de várias negas e vários volte amanhã,finalmente é-lhe concedida uma chance num cargueiro de caranguejo importado da África do Sul,provávelmente fachada de vários negócios pouco licítos e servida para fins de branqueamento e desvio de capitais de uma qualquer empresa manhosa.
Tal como o brilho dos diamantes africanos ,Tony tinha um brilho estranho nos seus olhos e um dia desconfiado decide durante o turno de serviço abrir uma das caixas enormes com aqueles rótulos alaranjados feios e carcomidos do sol africano e depara-se então com vários pedaços dum corpo nauseabundo com larvas em volta.
-Foi a primeira experiência de Tony perante um cadáver e de facto isto não o assustou,apenas alimentou-lhe o bichinho do seu cérebro criminoso,e confirmou as suas suspeitas sobre as gentes de pouco crédito para quem trabalhava,e pensou poder movimentar-se como peixe em águas de tubarões e pensou poder encher o seu bolso ás custas de gente escura e invísivel coisa comum nas sociedades do hoje e sempre.
Depois de verificar mais uma das caixas depara-se então com o que tanto procurava,diamantes,e tal como os "porcos" amam os diamantes,Tony também era um homem amante de diamantes,desde o café á discoteca com nome diamante que já indicavam que o futuro de Tony seria brilhante no meio das suas madrugadas putanheiras e pouco sociais.E é então que é hora de meter "cacau" ao bolso,dizer adeus e matar cúmplices pois Tony é nome grande demais pra partilhar o cacau,com os seus “camaradas”.



Excertos do Próximo capítulo…” Tony enche-se á grande no Cais de Sodré mais umas putas reles,entre as quais conhece o amor da sua vida, uma loura alcóolica e louca,de seu "nome" Patty, e vê-se de repente arrastado num mar de sangue e num arraial de
violência…”


*** FIM DO PRIMEIRO CAPÍTULO ***

AUTORIA :

JAY COBRA
POESIA


MADE IN 2 DE MAIO


De Belém para a Ajuda
É sempre a subir
Passa-se o Palácio
É já ali à frente


Cacos no chão
Beatas fumadas
Vidraças partidas
Vidas estropiadas

Foi ali que cresci
Foi ali que me tornei cavaleiro
Do mullet, do bigode
Da cerveja e do fio d’ouro
Profissão: estivador
Espírito: brejeiro!!!



A mirar o Tejo
Conjunto de betão
Bairro da decadência
Ruas sujas e sem gente
Demência e delinquência
Andam de mão em mão



Colete de cabedal
Botas de Cowboy
Desempregado, alienado
A vida não mata mas mói


Reunião na tasca
Há bola na TV
Na parede avisos de consumo obrigatório
Mas ninguém lê
No intervalo enche-se o mictório
Febras e falatório


O chuto faz-me doente
Emoção espinha acima
Sozinho na ruela
O BI faz de mim gente
A pedra dá-me vida
Por mais um dia


Sou um produto do 2 de Maio
Orgulhosamente Lisboeta
Enquanto olho pró Tejo
À realidade faço gazeta


A mirar o Tejo
Conjunto de betão
Bairro da decadência
Ruas sujas e sem gente
Demência e delinquência
Andam de mão em mão

(AUTORIA DO POETA URBANO ZÉ STRUMMER*)

*UM FILHO DO BAIRRO SOCIAL 2 DE MAIO...

sábado, novembro 05, 2005

Entrevista aqui do blog á banda Traumatics:


Pois é,aqui há tempos estive á conversa com o baixista dos Traumatics,vulgo, Nuno Traumas e surgiu esta entrevista realizada na desportiva,a qual acho que está engraçada e realista e coloco-a aqui ao vosso dispôr.






1-Oi! ,podias dar uma ideia de quem são os Traumatics,como começaram,as idades e ocupações dos membros para além do crime,e o porquê de terem iniciado a banda?

- Oi! Cobra,a Lili Marlene tá boazita? (risos.) É assim, The Traumatics começaram as suas actividades no início de 2003. Fui pôr um anúncio na loja de som que o Hugo e a Katy tinham no Centro Comercial City para uma banda na onda do 77,embora numa vertente mais Horror Punk. Tivemos logo grande empatia e as cenas rolaram a partir daí, com ensaios a bombar, sendo a nossa estreia ao vivo em Dezembro desse ano. Os concertos não mais pararam, e em Janeiro deste ano sentimos necessidade de ter uma boa vocalização, dando-se a entrada da minha namorada Teka pás vozes. A nossa dinâmica em palco melhorou bastante e hoje em dia já nos sentimos perfeitamente à vontade os quatro. Os elementos da banda são: Hugo Ramone – Guitarra e Voz, 28 anos, actualmente desempregado; Katy Spikes – Bateria, 23 anos, trabalha em part-time num tasco; Nuno Traumas – Baixo e Backin Vocals, 28 anos, desempregado idem e Teka Thirteen – Voz, 30 anos, fundo de desemprego e bodypiercer.

2-Qual o Material editado até hoje?Como se pode conseguir esse mesmo material?

Editámos uma demo em finais de 2003 intitulada somente The Traumatics, mas hoje em dia está out of stock. Algumas músicas desta demo, como They Live! e Back To Stay já nem tocamos ao vivo sequer, pode ser que com a continuação se tornem raras, eheheheh. O nosso cd de estreia saiu em Outubro do ano passado intitulado Classic Horror Lives!!!, estando nas principais distros punk do País ou então contactando a banda através do site on-line.


3-Onde se situa o universo lirico e musical dos Traumatics,para quem não vos conhece?

O universo lírico da banda foca desde o Horror Série B dos anos 50, ao cinema xunga gore, passando pelos Slashers dos anos 80, adicionando uns “condimentos” de Glam, Poseurismo, alguma Bondage e fetiches vários. Fui o compositor lírico da banda até à entrada de Teka Thirteen, que para além de minha companheira, revelou um índice de imaginação semelhante ao meu e é uma excelente letrista também. O universo musical funde-se entre a onda americana de Misfits, Ramones ou Cramps com o 77 inglês de bandas como The Damned, 999 ou The Boys, bandas de enorme influência musical no nosso guitarrista Hugo.



4-Têm sentido algumas dificuldades em gravar material,dar concertos em solo nacional?

Cobra, tu vives cá, tens uma banda, sabes tanto como eu o fudido que é bandas punk rock old school conseguirem algo neste País. Ou és Fonzie e tocas pás meninas na praia ou és do Crust e apanhas com vários públicos que vai do punk ao metal, logo mais gente. Quem conheces que queira ver uma banda na onda dos Damned, por exemplo? A maioria dos putos nem conhece e nem se dão ao trabalho sequer de conhecer. Ficam-se pelo HC melódico (uns) ou pelo ruidoso parte-tudo do Crust (outros) tornando hoje em dia o 77 num “limbo” musical.



5-O que acham da cena punk portuguesa de hoje em dia?

(Risos.) Acho que prefiro nem responder a esta pergunta para não falar mal nem de pessoal, nem de outras bandas, apenas digo… tá uma MERDA!!

6-Quais as bandas com que têm mais amizade e que mais vos agradam a nível nacional?

- Essa pergunta é “pau de dois bicos”, pois há bandas que o som não me agrada muito, mas mantenho amizade com os membros dessas bandas e bandas que o som curta e não me dê muito com os elementos. Admiro muito o punk rock português dos anos 80 como Crise Total, Kú de Judas, Peste & Sida (os de ANTIGAMENTE!) ou Censurados, bem como a vaga rock n’roll de Coimbra como os extintos Tédio Boys ou 77. Actualmente, das que ainda rockam posso citar algumas bandas com quem já partilhámos os palcos como Tara Perdida (curto bués do Ribas como pessoa); Rolls Rockers; Mata-Ratos (o tal fenómeno da longevidade); We Were Wolves ou Anti-Clockwise e…aaah! Sem esquecer de duas bandas que nos deram nome lá fora e que infelizmente encerraram as suas actividades este ano: Les Baton Rouge e The Parkinsons.



7-Se pudessem eleger um álbum de punk-rock como o disco perfeito,quais seriam as vossas escolhas?

- Eh pá, vou citar 5 álbuns que em puto me fez virar pá cena punk: o Nevermind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols!!, sempre e altamente recomendado; o primeiro dos The Clash, um clássico, que contém fortes hinos da cena do 77 como “White Riot” ou “Complete Control”; The Ramones – Rocket to Rússia, o primeiro álbum que ouvi deles e a partir daí não descansei enquanto não tivesse a discografia toda; The Misfits – Walk Among Us, grande álbum duma grande banda, a minha “musa” para tudo aquilo que fiz para Traumatics e para finalizar o primeiro álbum dos Censurados, ainda hoje fico aos pulos quando o passo no leitor, definitivamente um álbum para a história do Punk Rock português.



8-Qual a banda Nacional ou Internacional que mais vos marcou até hoje?

The Misfits. Porque associa as “dark lyrics” dos horror movies dos quais sou fanático aos acordes básicos e “catchy” do punk rock. A forte influência que eles têem do Rock n’Roll dos anos 50 também me agrada muitíssimo porque simplesmente I LOVE ROCK N’ROLL!!!



9-Quais os projectos que vocês têm para o futuro com a banda?

Dar o máximo de gigs por aí e de preferência, fora de Portugal, porque aqui um gajo não passa da cepa torta, toca de vez em quando e quanto a cachets é sempre a mesma merda, nunca há guito para pagar ás bandas, porque não existem apoios, ou porque algum organizador mete dinheiro aos bolsos e as bandas é que ficam a arder, etc. e tal. (Pausa para um cigarro.) Vamos entrar em gravações do nosso segundo álbum no final de Verão, sem ainda data prevista de quando o vamos lançar. Fiquem atentos ás novidades no nosso site.



10-Vocês voltaram recentemente duma mini tournée por Espanha,querem nos contar como foi a aceitação do público espanhol?

Não tem nada a ver com isto. Em Espanha existe união entre as “tribos urbanas” de modo a promoverem gigs e espectáculos vários. Fomos muito bem recebidos em Espanha, por fãs espanhóis (nem sabíamos que tínhamos tantos), tendo alguns se deslocado de Salamanca de propósito a Zamora para nos verem. No público tínhamos todo o tipo de Skins, punks 77, anarchos, pessoal do crust, alguns freaks, góticas, de tudo um pouco. O concerto correu bem e a noite melhor ainda, espero voltar lá com a banda o mais rápido possível. Só tenho pena de não falar, nem perceber um caralho de Espanhol (Risos.)

11-Querem deixar uma última palavra aos nossos leitores?

Pessoal, apareçam nos gigs de Traumatics, espero que curtam da banda e se por acaso alguns de vocês não curtirem à partida, merecemos a chance de nos verem ao vivo para ver se mudam de opinião,né? Eheheheheh. Visitem o nosso site em : http://run.to/traumatics.
Oiçam Punk Rock 77 para verem como tudo começou.
Up the Punx!! Sex, Drugs and ROCK N’ROLL!!!



Etiquetas:

sexta-feira, novembro 04, 2005




CLOCKWORK BOYS É UMA BANDA DE PUNK ROCK N´ROLL QUE NASCEU EM JANEIRO DE 2005,E GRAVOU UMA DEMO CD DE 2 TEMAS EM FEVEREIRO DE 2005 PELOS SEUS PRÓPRIOS MEIOS. -VÁRIAS MUDANÇAS DE FORMACÃO OCORRERAM DESDE A PRIMEIRA DEMO FAZENDO COM QUE O NOSSO SOM SOFRESSE UMA ABORDAGEM MAIS PUNK ROCK, ATÉ PORQUE AS NOSSAS MAIORES INFLUÊNCIAS SAO O PUNK DE 77 (KILLED BY DEATH) E O HARD ROCK AUSTRALIANO DA MESMA DÉCADA. - BANDAS PORTUGUESAS COMO AQUI D´EL ROCK E UHF DO PRINCÍPIO SÃO GRANDES INFLUÊNCIAS NO NOSSO SOM ASSIM COMO BANDAS INTERNACIONAIS ESTILO DICTATORS, DEAD BOYS, PAGANS, CRIME, GG ALLIN AND THE JABBERS, FEAR, GERMS, BUZZCOCKS, THE DAMNED, COCK SPARRER, THE BOYS, THE KIDS, UNDERTONES, ROSE TATTOO E AC/DC. -ESTÁ PREVISTO O LANÇAMENTO DE UM VINYL PICTURE E.P. DE 4 TEMAS INTÍTULADO “ROCK NAS CADEIAS” POR UMA EDITORA DE AMIGOS DA BANDA. A BANDA ENTRETANTO GRAVOU 4 NOVOS TEMAS COM A PARTICIPAÇÃO DE DOIS ANTIGOS MEMBROS E FUNDADORES DOS AQUI D´EL ROCK, OS PAIS DO PUNK EM PORTUGAL (PODEM VER NOS NOSSOS LINKS O SITE DESTA BANDA DE 77), E GRAVARAM-SE DUAS VERSÕES PARA O NOSSO 2º TRABALHO, SENDO ELAS, “ HÁ QUE VIOLENTAR O SISTEMA” DOS AQUI D´EL ROCK E “TEENAGE KICKS” DOS UNDERTONES.ALÉM DE SE TER GRAVADO AINDA DOIS TEMAS ORIGINAIS, O TEMA “ SOLTA A COBRA QUE HÁ EM TI” QUE IRÁ SER O TÍTULO DESTE NOSSO 2º SINGLE E O TEMA “PAULINHO CASCAVÉL”. NESTAS FAIXAS QUE GRAVÁMOS TIVÉMOS COMO BATERISTA INTERINO O SR. JOSÉ SERRA, E AINDA A PARTICIPAÇÃO NOS COROS DO SR. FERNANDO GONÇALVES, AMBOS ELES FUNDADORES DOS AQUI D´EL ROCK.


VOU DEIXAR AQUI UMA ENTREVISTA REALIZADA PELO SR.ARISTIDES DUARTE DO BLOG ROCK EM PORTUGAL AOS CLOCKWORK BOYS ,ONDE SE ABRE UM POUCO O JOGO SOBRE OS PLANOS PARA O FUTURO.FALO DA JUNÇÃO DOS CLOCKWORK BOYS(DR.RAY BAN,ZÉ ABUTRE & JAY COBRA) AOS DOIS ANTIGOS FUNDADORES DOS AQUI D´EL ROCK
JOSÉ SERRA E FERNANDO GONÇALVES,NUM PROJECTO DE SEU NOME AQUI D´EL ROCK N´CLOCK,ONDE SE IRÁ TOCAR E RE-GRAVAR TEMAS ANTIGOS DOS SINGLES,BEM COMO OUTROS TEMAS NOVOS.ESTAMOS AÍ NA ESTRADA E ESTAMOS VIVOS!!!





ENTREVISTA COM OS CLOCKWORK BOYS E JC SERRA (dos AQUI D'EL ROCK)

Blog: Foi difícil convencer o JC Serra a tocar convosco as versões dos Aqui d’el-Rock?



Jay Cobra: Antes de mais, um grande obrigado por esta entrevista e por todo o apoio prestado à banda desde o início. Quanto a convencer o Serra a vir tocar connosco, tenho de dizer que fiquei surpreendido por ele ter aceite o convite, foi de todo inesperado e só tenho a dizer que nos temos divertido imenso, e que é com grande honra e prazer que temos um dos membros e mentor dos Aqui d’el-Rock a tocar connosco.


Blog: Qual é a sensação de estar a tocar uma versão dos Aqui d’el-Rock, com o próprio autor do tema tocando bateria?


Zé Abutre – É muito bom poder tocar uma versão de um tema que gosto com o próprio compositor....faz com que a versão seja muito mais "verdadeira"!

Blog: O que é que sentes passados tantos anos depois, verificando que as novas gerações apreciam o trabalho dos Aqui d’el-Rock?


JC Serra – A sensação foi mesmo muito boa. Nas 2 sessões em que participei, apesar de todo o speed e do cansaço da mais de hora e meia de ensaio, diverti-me imenso, mas isso só foi possível porque os meus camaradas de armas me puseram completamente à vontade. Quero no entanto acrescentar que não deixei de me sentir mexido ao voltar a pegar nas baquetas, mais de 20 anos depois de ter feito a minha última verdadeira performance.


Blog: Já há contactos com editoras para editar o disco com a participação de JC Serra? O disco será editado em suporte vinil ou CD?



Jay Cobra - Nós queremos gravar em vinil à moda antiga, e quanto à editora por quem vai sair o nosso 2º disco ainda não sabemos é um caso a ver. Posso adiantar que as primeiras 50 cópias vão ser autografadas pela banda. Temos o disco “Rock nas cadeias” já gravado e à espera de sair num EP Vinyl Picture, por uma editora de amigos da banda.

Blog: Na tua geração há apreciadores de old school punk rock. Podias dizer-nos quais são as tuas bandas preferidas desta corrente?


Zé Abutre - Tenho muitas bandas de quem gosto, nessa corrente da primeira geração do punk rock como os Dead Boys, Pagans , Gizmos , Crime , Skuddur , Dogs (ohio) , Victims (Austrália) , Dogs (Detroit), Rings , Cock Sparrer , Germs , Black Flag, etc.


Blog: Quais serão, em princípio, os temas que sairão neste disco?


Jay Cobra - Os temas que temos tocado até agora são: ”Solta a cobra que há em ti”, ”Há que violentar o sistema”, e “Teenage kicks” dos The Undertones, que devem ser as faixas a sair no próximo disco, pelo menos as duas primeiras é dado adquirido que vão ser essas a sair no segundo disco. Também temos tocado algumas músicas antigas com o Serra, tais como “Fernando Chalana era Rock ‘n’ Roll” e a “Rock nas cadeias”.


Blog: Qual é, verdadeiramente, a sensação de voltar a tocar bateria, para mais tocando versões de temas da tua autoria?


Jc serra – Sinto-me finalmente entendido e de algum modo recompensado pelo trabalho feito nessa ocasião. Creio que essa apreciação é só agora feita e compreendida porque estes são de novo tempos de “apunkulturar” o sistema, quer ele seja entendido de uma forma global – politicamente falando – quer ele seja aquele que diz respeito ao mundo da música, dos instalados, dos que tendem a dominar e a impor os critérios para o consumismo das modas acéfalas.


Blog: Conheces a história do punk rock português. Qual o lugar que atribuis aos Aqui d’el-Rock nessa história. E outras bandas dos primórdios, de quais gostarias de fazer versões?


Jay Cobra - Aqui d’el-Rock foram os impulsionadores do punk em Portugal nos anos 70 e tinham qualidade acima da média e uma grande atitude . Eu vejo os Aqui d’el-Rock como a melhor banda punk portuguesa de todos os tempos. Depois de Aqui d’el-Rock acho que os Parkinsons fizeram também algo de muito bom. Quanto a tocar mais versões de bandas antigas, gostava de fazer uma dos belgas The Kids, com uma letra minha em português - “This is Rock ‘n’ Roll”, uma dos UHF, talvez “A caçada” ou “Cavalos de corrida”, uma dos Damned - “New Rose” e talvez também “Not anymore” dos Dead Boys.


Blog: Sabias que os Faíscas, a vossa banda concorrente nos idos de 78, vão aparecer este ano, pela primeira vez em disco, num DVD de recordação dos Heróis do Mar?


JC Serra – Não sabia mas registo; mas já agora… quem são os faíscas?! Se isso é uma provocação respondo de imediato aqui e agora, em 1ª e com ambas as mãos que vou responder a essa e todas as outras eventuais provocações com um projecto de cantigas D’al-zheimer (D’al-zheimer songs) onde a apunkultura dos
Aqui d’el-Rock’n’Clock irá de novo trazer os temas “Há que violentar o sistema” e “Eu não sei”, para além de outros igualmente contundentes, que irão ajudar a abandalhar esta porra. Haja uma editora á altura do acontecimento e esperem p’la punkada onde as faíscas serão apenas meros enfeites das bombas que rebentarão.


Blog: Se pudesses, quem convidarias para tocar contigo em novas sessões de gravação (músicos portugueses)?

Jay Cobra : Convidava todos os Aqui d'el-Rock eheheh e o Adolfo Luxúria Canibal dos Mão Morta, para cantar comigo uma música que tenho idealizado e em construção chamada "A Barbie Morreu". Internacionalmente chamava o Jeff Clayton dos Antiseen também para um dueto. Do mundo dos mortos trazia o Stiv Bators para bebermos uns copos juntos e a Wendy Williams para lhe fazer um filho.hahahahahahahah!!!

PODEM VISITAR O SITE DOS CLOCKWORK BOYS EM:

http://www.geocities.com/clockworkboysweb/




MAIS UMA FOTO DOS FAÍSCAS,BANDA QUE SE DIZ QUE ERA MUITO INFLUENCIADA POR CHUCK BERRY.
ESPEREMOS ENTÃO QUE SE CONFIRME O TAL LANÇAMENTO DOS HERÓIS DO MAR,PARA PODERMOS ESCUTAR OS FAÍSCAS.PEÇO AQUI A QUEM TENHA FOTOS DESTES TEMPOS QUE ENVIE AQUI AO BLOG E QUE NOS FALE UM POUQUINHO DE COMO ERA O SOM E A ATITUDE DAS BANDAS DESSE PERÍODO.
E UMA FOTO DOS CORPO DIPLOMÁTICO QUE CHEGARAM A LANÇAR UNS VINIS.


AO QUE CONSTA POR AÍ,OS FAÍSCAS VÃO SER INCLUÍDOS COMO BÓNUS NUM DVD DOS HERÓIS DO MAR,PARA QUEM NÃO SABE,PELOS FAÍSCAS PASSOU UM TAL DE PEDRO AIRES DE MAGALHÃES(HERÓIS DO MAR/MADREDEUS).



PÚBLICO NUM CONCERTO PUNK ROCK NOS ANOS 70 COM OS AQUI D´EL ROCK EM PALCO.

quinta-feira, novembro 03, 2005

CÃES VADIOS


O grupo surgiu em 1985 na cidade do Porto. Em entrevista ao fanzine portuense "Ressaca Viciosa" afirmavam que os seus objectivos passavam por "divertirem-se, ganharem muito dinheiro e comprarem um cadillac a curto prazo" e que uma das suas influências principais era o cantor Daniel Bacelar.

O grupo era constituído pelo vocalista Rodrigo Gramacho, pelos guitarristas Guilherme Lucas e Victor Guedes e pelo baterista Carlos Moura.
No início de 1987, a Ama Romanta lançou um single com os temas "Cães Vadios", "Bêbado" e "Marcianos". Mas em 1986, ainda sob o nome OS CÃES, A MORTE E O DESEJO, tinham aparecido na colectânea "Divergências" com o tema "Elvis" .
A k7 "Bem Fundo" é editada em França pela indie "Eat Rekords" e distribuida na Alemanhã com o fanzine "Urbem". Nesta altura a banda era formada por David Dano (voz), Óscar Q. (baixo), Guilherme Lucas (guitarra) e Carlos Moura (bateria)
Em 1993 mudam de baterista com a entrada de Zé Borges (ex-Alucina Eugénio). Gravam uma nova maqueta com os temas "Sou Único", "Mental City" e "Só".
DISCOGRAFIA
Cães Vadios (Single, Ama Romanta 1987)
Colectâneas
Divergências (1986) - Elvis
Distorção Caleidoscópica (1992) - Bem Fundo
Portugal Rebelde Vol.1 (1994) - Mental City
Ritual Rock 1 (1995) - Sou Único
COMENTÁRIOS
«Concursos nunca. É pôr a cabeça a prémio. Arriscas-te a ser ultrapassado por uma banda que tu sabes que é medíocre. Se não houvesse concursos, as bandas seriam conhecidas à mesma, pois as coisas seriam feitas de maneira diferente, porque o público quer bandas e quer música. Os concursos são uma infantilidade primária.» CV/Ritual 3 (1991)
NO RASTO DE...
Óscar está ligado à loja de discos Piranha. Faz parte dos Motornoise.
David Pontes é jornalista e já passou por vários jornais. Actualmente é sub-director do "Jornal de Notícias".







( texto retirado do blog música portuguesa nos anos 80 podem ver pelo seguinte link :

http://anos80.no.sapo.pt/directorio.htm ) .

Aproveito para dizer a todos que tiveram uma banda que de algum modo esteve ligada ao punk rock neste período dos anos 80/90 ou até mesmo já mais na actualidade e não tenha nada publicado que nos informe um pouco mais do que é ou do que foi esse projecto ,que está livre de nos enviar um pequeno artigo com uma apresentação do que foi ou do que é o projecto,além de fotos para aqui o nosso blog publicar.

quarta-feira, novembro 02, 2005

Aqui D´El Rock :

AQUI VOS DEIXO COM UMA INTERESSANTE ENTREVISTA REALIZADA AOS PAIS DO PUNK NACIONAL,OS AQUI D´EL ROCK, QUE SAÍU PÚBLICADA NA ANTIGA E EXTINTA REVISTA ROCK EM PORTUGAL .EM BREVE MAIS ENTREVISTAS A BANDAS NACIONAIS AQUI NO BLOG.

RP – Porquê “Aqui d’el-Rock”?...
Serra – Somos um grupo de gajos que vivem, desde há uns anos à brocha... Somos músicos sem formação básica de conservatório e essas coisadas todas. Somos os chamados músicos orelhudos, como alguém nos chamou. Nós somos os orelhudos, né? Começámos há uns anos a fazer barulho. Fomos juntando umas colunas, uma bateria feita aos bocadinhos e mais umas coisas... Verificámos, então, que havia um certo movimento de músicos que não têm possibilidades monetárias de fazer grandes coisas, agarrámos nessa ideia e fazemos o que sempre desejámos fazer...

RP – Vocês entraram para o punk por oportunismo?
Serra – Nós, para já, não nos auto-denominamos... como é que é... é assim que se diz? - de punk. Temos uma série de ideias que, em grande parte, coincidem com as do punk. Se o punk for aquilo que nos propusemos a fazer, somos punk. Se não for, não somos punk. Para já, não nos auto-denominamos de punk.

RP – Então o que é isso que vocês fazem?
Alfredo – O que a gente está a fazer é uma música que sempre gostámos. Se isso é punk pois nós somos.

RP – Que é que vocês pensam do movimento punk?
Serra – Bom, a gente pensa do punk aquilo que nos dizem, porque nunca fomos a Inglaterra ou à América – não temos dinheiro para isso – ouvir grupos punk. Disseram-nos que são grupos, que querem dar ao rock aquilo que tinha no início, a força, a espontaneidade, e que agora foi desvirtuado pelos intelectuais. Nós, para já, alinhamos nessa ideia. E daí vem o nosso nome. Aqui d’el-Rock é uma espécie de chamada de socorro para que o rock venha a acudir a toda esta engrenagem que anda metida nesta música,.. (ruído estridente de um avião a passar...). Nós demos agressividade, não só na música como nas palavras – em português – contra tudo isto que está mal, contra o sistema que nos querem meter pelos cornos abaixo, contra a vida que levamos. Eu, por exemplo, andei cerca de quatro a cinco anos desempregado. Arranjei trabalho há pouco tempo. Sou servente de armazém, né... os outros são gajos que estudam e têm de matar a cabeça para terem alguma coisa de bom. Um outro trabalha e recebe, às vezes, de cinco em cinco meses. Há que denunciar tudo isto!

RP – São revoltados
Serra – Somos revoltados desde que nascemos!

RP – Querem atacar quem?
Serra – Queremos atacar tudo o que seja de atacar, dentro do nosso ponto de vista. É o sistema capitalista, é o outro sistema, o chamado sistema “chuchialista”, que no fundo, só serve para abafar certo tipo de problemas,… isto não é estar a dizer que somos contra o socialismo.
Alfredo – Nós estamos contra o chamado “chuchialismo” e não contra o verdadeiro.
Serra – Estamos contra a forma como eles nos tentam impingir que “vamos a caminho do socialismo”, de “uma vida boa”, etc.,... no fundo só reformulam o sistema capitalista. Este sistema e tudo o que gira à volta, o fascismo, e toda essa merda, só servem para continuar a exploração do homem pelo homem.

RP – Consideram-se, então, uma banda política.
Serra – Nós consideramo-nos uma banda de rock que tem muito a ver com o punk, se o punk for isso.
Alfredo – Bom, tudo na vida é político. Contudo o rock tem sempre objectivos políticos, quer sejam imediatos, quer sejam, mais ou menos, implícitos. E a verdade é esta: - pensamos que o rock não é incompatível com uma determinada visão da sociedade e que pode complementá-la, de certo modo. Quer dizer, nós queremos destruir a sociedade, na medida em que pretendemos uma melhor.

RP – Anarquistas?
Alfredo – Não necessariamente...
Serra – Chama-nos aquilo que quiseres.
Alfredo – Nós não somos políticos, estás a topar? Não somos políticos de profissão...
Serra – Portanto, não sabemos qual é o melhor sistema. Queremos coisa melhor onde não haja a exploração a que somos sujeitos no dia-a-dia.

RP – E podem chegar lá através do rock?
Serra – Não sabemos. O que sabemos é que o rock pode ajudar. Se fossemos como todos esses gajos – e cá em Portugal já os há – que tocam rock só para passar o tempo, para as pessoas curtirem naquilo e esquecerem os problemas, então é que não chegávamos a parte nenhuma. Se o punk é o que fazemos, pois claro nós somos punk! Queremos chamar as pessoas para as realidades, não como fazem os músicos de rock sofisticado! Pronto! Eu sou assim, às vezes, um bocado speedado a falar.
Alfredo – O rock que estamos a fazer, quer em termos de música, quer em termos de letra, tem o objectivo de ser simples. E simplicidade não é sinónimo de merda. A letra tem de ser mais qualquer coisa do que as palavras que tem. Vale essencialmente pelo conteúdo. Com base nessa simplicidade queremos chamar a atenção para qualquer coisa. Se fizéssemos uma música muito sofisticada as pessoas alienavam-se, embrenhavam-se na música e não ouviam o essencial. É neste sentido que o rock pode ter um papel político.

RP – As vossas letras são capazes de chocar os puritanos (ou os falsos puritanos). Que é que vocês pensam se, por hipótese, estivessem em actuação e a polícia suspendesse o concerto por causa do teor das letras, alegando “ofensas à moral pública”?
Fernando – Não me admirava nada.
Serra – Não estamos deliberadamente à espera disso, só que não pomos a hipótese de parte. Para já, estamos contra a polícia como garantia do sistema, portanto é natural que eles também não gostem de nós
Alfredo – Uma coisa que queria dizer é que, embora o punk seja normalmente visto como o “punk da cruz suástica”, nós somos radicalmente contra isso.
RP – Mas eles dizem que usam cruzes suásticas para chocar e que não são fascistas...
Serra – Tá bem, mas um gajo pode chocar arranjando outras formas novas de chocar, sem fazer o jogo dos fachos. Por exemplo os Sex Pistols chamaram fascista à rainha de Inglaterra. Claro, ela é fascista! Não tenho puto de problemas nesse aspecto. Realmente estou de acordo com os gajos.
Alfredo – Isso é gratuito... há muitas maneiras de dizer as coisas. A nossa preocupação ao fazer as letras é que tenham qualquer coisa a ver com a realidade. Sobretudo, não procuraremos nas palavras aquilo que somos impotentes de dizer.
Serra – Uma coisa importante é que o punk veio abrir muito o campo da linguagem utilizada nas letras. No punk-rock utilizam-se as palavras que são ditas no dia-a-dia, os palavrões e o calão incluídos – desde que devidamente utilizados. Não é dizer um palavrão só porque está na moda. Nós utilizarmos essa linguagem até porque é mais entendida pelas pessoas.

RP – Vocês não são muito violentos ao vivo?
Óscar – Não somos arruaceiros baratos. Não somos a violência pela violência. É isso. Somos violentos, principalmente, naquilo que dizemos, porque isso de chegar ali e partir tudo pode significar muita coisa mas passa despercebido se não se acompanhar pelo que se diz.

RP – Se algum crítico disser mal de vocês que é que lhe fazem?
Serra – Bem, a gente caga nos críticos, para já! A maior parte dos críticos fazem parte do sistema. E isso se te toca a ti, desculpa lá. Desculpa nada!
RP – Não enfio a carapuça. Até porque nem sou crítico... sou um simples jornalista.
Serra – Ainda bem.
(…)



Extractos da entrevista de Pedro Ferreira – "Música & Som" nº 46 de Abril de 1979 :
(…)
M&S – Mas qual é a importância da música “punk”, da vibração intensa, frenética, imperativa que só se pode recusar ou aceitar como uma espécie de ritual colectivo? Porquê a música motorizada sem esperança?
Óscar – Há um certo êxtase... mas não queremos arregimentar hostes cegas. A gente leva uma vida intensa, e só nos interessa viver intensamente; as pessoas têm de viver urgentemente senão tornam-se cadáveres ambulantes...
Alfredo – É uma música que traduz um modo de vida. O “modus vivendi” que nos é próprio, mas muito mais a vida de muitas pessoas; traduz a oposição dos que agem e a vida dos que aceitam. E isto reflecte-se naquilo que dizemos.
(alguém) – A gente tinha uma cultura rock – uma cultura rock não oficializada de preferência, isto é, não a música massificada... numa música viva e actuante não existe essa cultura.
Alfredo – A agressividade com que tocávamos era o resultado da nossa vida de desempregados.... são as forças vivas que retirámos do que fomos vivendo que nos levam ao que fazemos hoje.
M&S – E em relação a saídas? Na Grã-Bretanha há grupos que se reivindicam do socialismo ou da anarquia, dentro da “New Wave”, estou-me a lembrar de “Anarquia… hhmmmm...”, no Reino Unido,...
Alfredo – Ai a confusão que vai nessa cabeça...!
Óscar – “Anarchy in U.K.”, dos Pistols.
M&S – É isso, os Sex Pistols por exemplo, ou os Clash, ou os BuzzCocks...
Óscar – Não queremos dizer às pessoas que devem fazer isto ou aquilo. Nós transmitimos as nossas experiências, gritamos “alerta”, dizemos que estamos vivos. A partir daí as pessoas desenvolvem, têm de ter a cabeça oleada, senão...
Alfredo – Em termos gerais, todos nós temos ideias de um sistema se de esquerda, se de direita. Há um ano era mais fácil, mas sabemos o campo político por que optamos.
Óscar – Não somos mestres pensadores, guias de qualquer espécie...
M&S – Influências dos “novos filósofos” franceses?
Óscar – Não, eu disse – “mestres pensadores” mas sem nenhuma intenção, só relacionei depois.
Zé Serra – Nós só dizemos que há que violentar o sistema, não afirmamos que o vamos fazer ou como o vamos.
(…)
Zé Serra – Eu pessoalmente acho que o grupo não vai durar muito tempo porque não podemos evoluir.
M&S – Mas vocês hão-de ensaiar nalgum lado!
Óscar – Não, até tivemos dois meses e meio seguidos sem ensaiar, fomos expulsos da sala onde estávamos porque incomodávamos os padres da Igreja ao lado.
Alfredo – Para além de nenhum de nós estar interessado em acabar com o grupo, há uma série de dificuldades que se têm de resolver num prazo X – não é a questão de acabar com o grupo que se põe; é a questão dele se extinguir se as coisas não mudam. Não vale a pena andar a engonhar como outros grupos; nós não esgotámos todas as possibilidades de evolução, muito longe disso.
Zé Serra – Eu também acho isso, mas não temos hipóteses de as esgotar.
M&S – E quanto é que vocês ganham sempre que actuam?
Alfredo – Nada. Vai tudo para aparelhagem, transportes, alimentação quando é na província (são na província os melhores contratos). Não temos nem o mínimo dos mínimos. Quando os Hot Rods vieram cá e nós tocámos nos 2 concertos deles, pagaram-nos ao todo 12 contos. Foi indecente, só aceitámos por causa da promoção.



(…)

Extractos da entrevista de António Duarte – "Rock em Portugal" nº 4 de Maio/Junho de 1978:
(...)
E estivemos ali todos reunidos. Além dos músicos, a equipa técnica: o Acácio – “alancador” (não nos perguntem o que quer dizer, por favor), o Silvino (Pi-flin) – “alancador”, o Alfredo II “mechedor de botões”, o Zé da Velha “alancador” e o Spínola (faz golpes de estado nos “flippers”).
(...)

Etiquetas:

A História do Punk-rock Nacional

(Capítulo 2)


Por estes tempos dos loucos anos 90 , deu-se o regresso dos Crise Total que contavam com a formação original dos anos 80 ,tirando apenas o vocalista Manolo desaparecido destas andanças,sendo que parece que ainda tocou bateria em Capitão Fantasma no começo,para então nunca mais se ouvir falar dele,e contando também com novos membros ,o vocalista Xico dos Subcaos e dos Porcos Sujos e o Libelinha no baixo ,também destas mesmas bandas e com passagens pelos M.A.D no começo e ainda pelos X-Acto no inicío quando X-Acto ainda cativava toda a gente do underground e não se assumia como uma banda Straight Edge.
Passando então o Pejó baixista da formação original para a guitarra ritmo, foi um regresso em cheio para incendiar os palcos e deixarem-nos com óptimas recordações.
Ainda chegaram a editar 2 álbuns em cd sendo o primeiro intítulado “A Crise Continúa”,o famoso albúm da capa com o antigo primeiro –ministro António Guterres em versão punk rocker e ainda o segundo Cd intítulado “Suicídio Involuntário” contando com mais um novo vocalista nesse álbum ,sendo ele o Miguel Rosa dos M.A.D ,
esta banda magnifica que também marcou muito desde o inicío dos 90´s, quando ainda contavam com o grande baixista Emilío que teve uma banda também chamada Emilío e a tribo do rum,e este senhor dava espectáculo no baixo .
O inicío desta banda foi como que apocaliptico,ambiente dark,muito alcóol,muito fumo,e muito punk-rock,a juventude sentia então grande informismo e revolta contra um sistema que só nos dava repressão em tempos de Cavaquismo e muitas merdas mais.
Mas a droga e outras merdas mais fizeram tanto com que a geracão dos anos 80 desaparecesse quase por completo assim como também alguma da dos anos 90.
A droga sempre acabou por tera sua influência na cena punk infelizmente… mas isso nao foi só por cá.
Nos anos 90 surge ainda a ideia da LBN Punx,LBN que significa Lisbon ,e que surge então como uma forma de indentificação e para unir ainda mais os punks de Lisboa.
Havia bandas que se assumiam da LBN,uma zine chamada LBN PUNX,e organizavam-se ainda algumas actividades,sendo de destacar os dias do caos que se organizaram no Algarve aquando do festival com Exploited e outras bandas em 1996 ,em que se registaram varios motins e distúrbios, houve muita destruição e convivío nestes dias sendo que os punks apareceram destacados em todos os jornais e foi necessário reforços policiais para correr com os punks do Algarve.
Os jornais aparecerem nos dias seguintes com títulos tão sugestivos e falsos como “punks armados de G-3 e balas á cintura e ao pescoço”(derivado dos cintos de balas e apetrechos vários) e já agora aproveito aqui para pedir a quem tiver esses recortes de jornal que os envie aqui ao Blog,pois essas noticías foram um prato cheio,só circo ,só rir.
-A LBN Punx esteve presente em peso,assim como punx de todo o País representados em peso (Leiría,Coimbra,e Porto em peso também).
-As bandas mais representativas da LBN Punx eram os Subcaos,os Mortos de Fome,os Porcos Sujos,os Mad,e os Albert Fish mas havia mais.
Havia grande amizade e união entre o pessoal destas e de outras bandas lisboetas.
- O punk-rock sempre foi passando de geracão em geracão e pode ter adormecido um pouco em deteminadas alturas,mas nunca morreu e nem há-de morrer,enquanto houver rebeldia,sangue quente e suor…
A HISTÓRIA DO PUNK ROCK EM PORTUGAL

( PRIMEIRO CAPÍTULO)



Estamos em 1977.Dá-se a explosão do punk-rock em Inglaterra e,por cá chegavam discos colectânea em que se podia contemplar algumas das bandas inglesas e americanas impulsionadoras do punk-rock, como os UK Subs,The Damned,Undertones,Dead Boys, ,Buzzcocks,Sham 69,The Boys,Slaughter and the Dogs,Adverts, Ramones,Sex Pistols,The Clash,Wire,Skrewdriver etc. Por cá surgem os primeiros sinais de uma juventude à qual corria rock nas veias e inconformismo e rebeldia na cabeça. Surgem então, as primeiras bandas: Faíscas, , Minas e Armadilhas, Aqui Del Rock e UHF. Estes dois últimos chegam a editar singles,que hoje em dia atingem valores exorbitantes,chegando mesmo aos 125 euros cada um. Os UHF lançam “A Caçada” e os Aqui D’el Rock, 2 singles de seus títulos “Há que violentar o sistema” e “Eu não Sei” . Dos Aqui D’el Rock são 4 músicas muito boas a nível de qualidade,sendo ainda hoje eles uma referência do punk nacional. Os Xutos & Pontapés começam, também a dar os primeiros passos nesta época. Todas estas bandas chegaram a actuar em conjunto. Os UHF gravariam , mais tarde, o tema “O Primeiro Concerto” que conta a história destes tempos de rebeldia. Mais underground,surgiam também os Cães a Morte e o Desejo(mais tarde viriam a chamar-se Cães Vadios), sendo que em 80 os Aqui del Rock passam a enveredar mais pela new- wave pós-punk e tornam-se os Mau Mau que também chegam a editar um single. No início dos anos 80 surgem bandas de maior impacto no punk nacional,sendo elas Mata-Ratos ,ainda hoje existente e continuando a lancar albúns. Foi a banda desta altura que mais discos gravou,e que continua a encher plateias com o seu Street Punk Oi! Surgem os Grito Final,oriundos do Bairro da Ajuda,bairro onde tradicionalmente sempre surgiram punk-rockers e bandas punk. Aparecem os Bastardos do Cardeal,Jesus Morto da Cruz, Kú de Judas,os Crise Total,os Khaos,os Condenação Pacífica (a primeira banda anarco punk portuguesa) os Peste & Sida,Morituri,os N.A.M sigla que significava Núcleo de Atrasados Mentais (um projecto em que entravam membros dos Ku De Judas),os C.i.a.neto,Estado de Coma,Fracturados ,Cagalhões, Estalada Total,Profilaxia, Papo Seco,Vómito,Amen Sacristi, ,Atrofiados, etc. Nos anos 90 a cena punk nacional encontrava-se muito forte surgindo novas propostas ,tais como os Censurados (em que mais uma vez entrava um antigo membro de Ku de Judas)que viriam a gravar dois Lp’s,e 2 Cd’s, sendo um deles gravado ao vivo em Coimbra. Aparecem, então, novas bandas ligadas ao hardcore punk nacional,tais como Subcaos,X-Acto,Alcoore , Corrosão Caótica,Inkisição,Arghh,Desordeiros,Simbiose,Humor Cáustico,Mentes Podres,Má Fama,Insurrectos,31,Zé Manel Suicida,Motorcharge,Simbiose,N.O.Opression, Psykoma, Noites de Nevoeiro,Suicida,M.A.D.,Porcos Sujos,Mortos de Fome,Xatoz,Pé-de-Cabra,Anti-Porcos,Renegados de Boliqueime, H2 Vinho ,Anti Anti,Incriminados,Intervenzione,Farrapos,H2 Vinho,Funda,Caos Social,Kruz da Pedra,Ratos Fanhosos,Exclusão Nuclear,Molotov,ADP (que significava Assasinos do Papa,Reltih), e Alien Squad ,sendo que estes começaram em 89,mas ainda hoje são o expoente máximo do punk em Leiria que teve uma cena bastante forte assim como Coimbra. Houve muitas bandas (e concertos) por aqueles lados ,tais como os Sarna,Injusticed League,Kuspa,Destructive Humanity,Toomates Noise,DIR (que significava Desordem i Revolta),Oi!Confusion,Strain,77,Ex Lovers Sex,The Pinks,Mad Rats,Garbage Cats,Gobart,Hud sabao,Dk Hard Jazz, sendo que algumas das quais nos deixaram registos em vinil e outras bastantes cassetes demo.
-BOAS PESSOAL DAS BARRACAS E RESTANTE POPULAÇÃO PRISIONAL DE PORTUGAL ESTE BLOG NASCEU PARA ABRIR UMA NOVA PÁGINA NO PUNK ROCK NACIONAL,ESTE É UM BLOG DE TODOS OS QUE DELE QUEIRAM PARTICIPAR,DESDE QUE TENHAM ARTIGOS QUE EU ACHE QUE SE ENQUADRAM NO BLOG,OU NO ESPIRÍTO DELE.
É UM BLOG MAIS DEDICADO AO LADO MUSICAL,AQUI DEIXO A POLÍTICA PARA OS PARTIDOS,NÃO TENHO NENHUMA IDEÍA EM FAZER DISTO UM BLOG DE LUTA PARTIDÁRIA OU POLÍTICA, NÃO TENHO O MINÍMO INTERESSE EM TRAVAR BATALHAS POLÍTICAS NA INTERNET,POIS TENHO MAIS QUE FAZER E DEIXO ESSE TRABALHO PARA OUTROS QUE SE POSSAM DAR AO LUXO DE PERDER TEMPO COM ESSAS TRETAS DA NET.
ESPERO DE FUTURO SABER LIDAR MELHOR COM ISTO DO BLOG E PODER CONSTRUIR ISTO DE FORMA A QUE SEJA POSSÍVEL INCLUIR MP3 DAS BANDAS QUE AQUI IREI FOCAR.

ESPERO QUE ESTE BLOG SEJA UM DOCUMENTO REAL DAQUILO QUE EU VIVI,QUE FOI O PUNK ROCK NO COMEÇO DOS ANOS 90,POIS FORAM TEMPOS MUITO LOUCOS E ACHO QUE REALMENTE FOI UM PERIODO DO PUNK ROCK PORTUGUÊS DEVERAS PRODUTIVO,DIREI MESMO QUE A MINHA GERAÇÃO FOI A MAIS PRIVELEGIADA,POIS NO NOSSO TEMPO HAVIA DEZENAS E DEZENAS DE BANDAS BOAS E HAVIA SEMPRE MUITA GENTE DO PUNK NOS CONCERTOS.E QUANDO DIGO GENTE DO PUNK ,DIGO MESMO GENTE DO PUNK!!! NÃO ESSA MERDA DOS EMO´S DIRIA MESMO HOMO´S "PUNKS" QUE PRAÍ ANDAM A COMERCIALIZAR O PUNK NUM PRODUTO PRAS MÍUDITAS DO SECUNDÁRIO,QUE DEIXARAM HÁ POUCO DE BRINCAR COM AS BARBIES E ENTÃO SE TRANSFORMAM EM NOVAS FÃNS DA PUTA DA AVRIL LAVIGNE´S , JULGO SER ASSIM QUE SE ESCREVE.OU DA MERDA DOS FONZIE´S E COMPANHIAS.
-PUTA...HMMM PUTA MAS BOA ESSA AVRIL E ATÉ MARCHAVA ÓBVIAMENTE,AQUI A MALTA DO BLOG NA VERDADE GOSTA MESMO É DE PUTAS!!!OOOPSSS CARALHO!!!ISTO ERA SUPOSTO SER SEGREDO.
-EPÁ QUEM TIVER AÍ NA PROFISSÃO DE CHULO,QUE ACHO QUE É O QUE HÁ MAIS PRAÍ HOJE EM DIA ,ARRANJEM-NOS LOGO UMAS PUTAS DE GRAÇA,QUE A CRISE TÁ CADA VEZ PIOR $$$ .
A GENTE PAGA-VOS COM VINHO DO CARRASCÃO QUE É DO MELHOR E ATÉ DÓI,MAS COMO A GENTE AQUI VIVE NA PORCA MISÉRIA E COMO AQUI ATÉ GOSTAMOS DA DOR ...
NA VERDADE É A DOR QUE NOS FAZ SENTIR VIVOS!!!
NÓS AQUI SOMOS MESMO MASOQUISTAS E POR ISSO VIVEMOS O PUNK ROCK Á SÉRIA PARA NÃO ESQUECERMOS A SOCIEDADE MASOQUISTA E PUTA COM QUE TEMOS DE LIDAR E VIVER OU DIRIA ANTES SOBREVIVER DENTRO DELA.
-TEMOS QUE SER "PANTERAS" COMO O DARBY CRASH (GERMS) ERA!!!OU SE ERA...
-HÁ QUE SOLTAR A COBRA QUE HÁ DENTRO DE NÓS E CUSPIR O VENENO CÁ PRA FORA!!!

PARA FINALIZAR O EDITORIAL,ESTE É UM BLOG PARA DIVERTIR NO FUNDAMENTAL AQUI TRATAMOS DAQUILO QUE MAIS GOSTAMOS, DE MÚSICA E DE DIVERSÃO!!!
-É PRA ISSO QUE CÁ ESTAMOS, PARA DIVERTIR APENAS!!!
-LONGE DE COMPROMISSOS POLÍTICOS COM RÓTULOS,ORGANIZAÇÕES E COMPANHIAS (I)LIMITADAS.
-ESPERO QUE GOSTEM DESTE BLOG , E ESPERO PODER RECEBER CONTRIBUTOS VÁLIDOS DE TODOS AQUELES QUE VIVERAM E VIVEM Á SUA MANEIRA AQUILO QUE EU VIVI NO PASSADO E COM AQUILO QUE CONTINUO A SONHAR NO PRESENTE.
-HÁ QUE MUDAR ESTE PRESENTE ,POIS O PUNK ROCK ESTÁ DOENTE E PRECISA DE QUEM O SALVE!!!

SEJAM BEM VINDOS AO INFERNO PUNK!!!

AQUI VÃO-SE ABRIR AS PORTAS DA SALVAÇÃO DO ROCK N´ROLL!!!
Rock das Cadeias: Novembro 2005
Get your own Box.net widget and share anywhere!