sábado, abril 22, 2006

PUNK ROCK TRIBUTE-1

" My mind is a machine gun, my body the bullets, and the target is the audience."


GG ALLIN- the greatest rocknroll outlaw of all time,a savage on the loose,on stage gg rolled in shit,broken bottles,cut himself,beat up his audience,drank piss,ate shit,attempted rape,jail and hospital frequent "client",....you name it,he died of an heroin overdose in a time he was planning and announcing that he would kill himself on stage (and probably take some spectators along with him-all his shows had "enter at your own risk" sign).the most polemic man in punk rock recorded great punk rock records,amongst many collaborations with sidekick bands,my personal favorite is his early stuff with the jabbers.if you can't handle lyrics like: kill the children-save the food,i wanna fuck myself,i wanna fuck your brains out,kill thy father-rape thy mother....don't ever bother tryin'to like gg's work,cuz u won't!
"The Underground Is A Lie"

by Jim Goad



You don't shock me. I shudder with boredom at everything you do, from tattooing your dick to chewing on
your own poop. Not only have I seen all of your weak gestures before, I've seen them done better.

You remind me of someone I knew in college. His name was Mark. Pale, unshaven, and wearing his dishwater-colored hair in a Mohawk, Mark was an anarchist. He railed against the corporate elite and cheered for the collective. Projecting himself as his own mascot, he defaced hundreds of buildings with a goofy cartoon drawing of a Mohawk-wearing anarchist. The back of his leather jacket had an anarchy 'A' crudely daubed in white paint. Mark could be seen around town clustered with similarly disaffected youth, drinking out of paper bags, committing petty acts of vandalism, and plotting America's overthrow.

Unfortunately, Mark's parents were publishing magnates who had tucked away forty thousand dollars in stock for their baby anarchist. I once watched Mark transform into a sobbing bitch when he lost a bootleg cassette of his favorite hardcore band. Despite his lowlife appearance, he was a rich boy with the time and money to act poor. So were all of his friends. So are all of the people who consider themselves "alternative." Mark - you remind me of him.

Like Mark, your underground is strictly an upper-class phenom. You're a body-pierced, hair-dyeing, chain-smoking, whip-carrying FAKE, a little bitchy snitch who hasn't been hit enough. Your black eyeliner, rubber pants, and asymmetrical hairdo are a post-pubescent way of playing costume. You can't handle the guilt of your comfortable background, so you commit the heinous crime of slumming. No one worships trash in the slums, where they have to eat and breathe it daily. In poor neighborhoods, weirdness invites violence. Yet a blue-blooded nabob like you acts triflingly eccentric and considers it radical.

The "creative community" doesn't consist of the most creative people; you're the ones with the most spare time to create, those whose parents tolerate - and often finance - your flighty pursuits. What usually passes for art is just the idle noodling of the leisure class.

Your gizzard ululates with, "You sellout!" Well, the wealthy are the only ones who can afford not to sell out. Yes, there are a holy few who have refused cash when it's been dangled in front of them - they're called masochists. If you're still reading this, you're a masochist, too.

In your typically egocentric way, you pretend you're the vanguard, freeing the oppressed from the shackles of ignorance. You conduct a sorry crusade to recast the world in your image. You're dumb enough to think you'll make a difference. You feel that if everyone was like you, society would be wonderful. Yet you walk away scratching your head when the truly oppressed don't want anything to do with you. You've never fought for anything but the right to be infantile.

If patriotism is the last refuge of scoundrels, political rhetoric is a cubbyhole for dullards. The political is merely the personal in a cheap, quivering act of sublimation. You oppose power, which is like protesting the sun - scream all you want, but it'll still scorch you. As you cry about global warming, global corporations, and global revolution, I stare into the vacant globes of your eyes. The only anarchy going on is the mutinous misfiring of your brain cells. The 'A' stands for "asshole."

You whine about your "sexuality," how your body is a political combat zone. You're a simple rodent with boring bodily functions which you seek to ennoble. With your flagrant vanity and dishonesty in personal interactions, you reveal yourself to be equally as rotten as the leaders you despise. You invariably wind up imitating the oppressor. Unfortunately, you weren't oppressed to begin with.

For not only are you a liar, you're a hypocrite. You're fascinated by violence until you're confronted with it. You romanticize trauma but have never been traumatized. You demand grant money from a government you seek to destroy. You idolize primitive cultures but would slash your wrists if your CD player broke. You condemn religion but consider yourself enlightened. You're as self-righteous as the moralists upon which you spit. You hate hatred, won't tolerate intolerance, and conspire with others against conformity.

All your cohorts are hypocrites, too. Feminists don't degrade, objectify, and stereotype men? Socialists aren't elitists? Environmentalists don't drive cars? A pox upon all your houses. I'd wish for a rat to bite your ass and give you the Black Plague, but you'd probably consider it a fashion statement.

While you slurp the dick of political correctness, your amber asshole is being torn asunder by aesthetic correctness. You flush your self-respect down the toilet while scrambling to obey the edicts of boho taste. You're frightened senseless that others will think you're uncool. You'd rather swallow whale sperm than admit you like disco, Chicken McNuggets, or Love Connection You're frozen with fear that someone will realize what little you have to say. You squirm in the face of your own dullness. You are a prisoner of the underground, a hostage of your own creative retardation. Ideas emerge from your head stillborn.

Your rebelliousness is laid out for you like the portions of a TV dinner. You ape the powers that be with every clove-scented breath you take. You are nothing more than socioeconomic ectoplasm, a target market, a file folder at Central Casting. You exist as a parasite, because without an Establishment for you to oppose, you'd shrivel into cellular waste. Try as you may to avoid being absorbed by the mainstream, you remain trapped under its microscope, an amoeba with a nose ring.

This isn't an apologia for the mainstream, not by any stretch. Those who seek to defend it might as well believe in the Easter Bunny, too. The mainstream's models of reality are clunky and obsolete, just like yours. To attack it is too easy, like stealing crutches from a cripple. I'll leave those tactics to cowards such as you.

True psychos stand alone. The only pioneers are those who give voice to the ugliest corridors of their unconscious without fear of censure from any quarter. The acts that ordinary people commit behind closed doors are beyond the ken of any performance artist. Humans' innate weirdness is far more threatening and entertaining than anything the professional shock mavens could conjure.

I boggle your conception of a world split between cognoscenti and squares. I subvert the subversives and bury the underground under six feet of its own hypocritical manure. I perform unsolicited tattooing, body-piercing, and ritual scarification upon you.

Give vent to your sickest fantasies, but don't call it art. Cornhole Barbara Bush, but only if you want to. Sketch your astrological chart with your own feces, but only if it feels good. If you want to do something truly radical, kill yourself… the world will be a better place.

segunda-feira, abril 17, 2006

ENTREVISTA AO SR.RAWMANTIC AUTOR DA RÁDIO UNDERGROUND NACIONAL RAWMANTIC SESSIONS.









ENTREVISTA AO SR RAWMANTIC DA RÁDIO UNDERGROUND NACIONAL RAWMANTIC SESSIONS.

1-Obrigado pela entrevista antes de mais ,como surgiu a ideia de criar uma rádio underground na internet?

Eu é que agradeço a oportunidade de divulgar esse nobre espaço de rock n roll que sao as rawmantic sessions.pa,a ideia surgiu com a intenção de criar uma rádio acessível á maior parte das pessoas que apreciam bom rock. Portugal atravessa um marasmo em termos de recintos,editoras,concertos,bandas,rádios....não me apresento como um salvador da pátria,sou apenas mais um inconformado como muito boa gente que
por aí anda ou permanece no anonimato .

2-Como tem sido a aceitação da tua rádio?

A julgar pelas estatísticas a que tenho acesso,penso que seja óptima.tem cerca de 100 downloads diários, o que para este circuito do rock e as vertentes que o programa abrange (punk rock-powerpop,garage,mod,alternativo) nao é nada de se jogar fora.

3-Que pensas da cena underground actual?

Eu torço um bocado o nariz ao termo "cena",foi algo que ouvi demasiadas vezes nos anos 90 dentro do circuito punk, as pessoas ficaram um pouco obcecadas com isso,tudo ficou demasiado politizado,de repente se te tornasses vegetariano já estarias a salvar o mundo dos seus maiores males
nem sei bem se essas ideias ainda pegam,tens bandas hoje em dia com pessoal dessa geraçao que amadureceu e tem uma postura rocker mais terra a terra
,pessoal que fala da realidade das ruas,do dia a dia,do que lhe da tesão
e isso para mim é válido.
posso citar os clockwork boys como exemplo.

4-Sim,hoje em dia o punk tornou-se mais clichés e regras a seguir que outra coisa qualquer ,no entanto os defensores da politquice ,os ditos anarco punks normalmente não passam de hippies da esmolinha e do malabarismo de esquina,será assim,que vão mudar eles o Mundo? Que achas da cena anarco punk,não te parece que teve uma época e que o que seria suposto ser livre (PUNK) tornou-se mais uma prisão
das mentalidades?

Sem dúvida.depois de ter convivido e conhecido essa realidade,um gajo quer é bandas punk rock á seria como os dead boys,os germs...tu olhas para trás e olhas para hoje em dia e vês no que esse pessoal todo políticamente correcto se tornou.
A maior parte do pessoaL da cena straight edge agora são dealers (o que é salutar,pois drogas fazem sempre mais falta que aqueles ensaios memorizados sobre os beneficios da sobriedade) e
habitués em festas trance e drumn bass.
O pessoal que era do punk ou desapareceu ou adoptou ideias extremas noutros campos.sobraram alguns e é nesses que o rock n roll continua em Portugal.a minha fase teen punk passou,e sinceramente hoje em dia não tenho pachorra pra ouvir ninguem pregar o que quer que seja.
Como é que o punk é pensares por ti mesmo se passas a vida a citar frases que foram repetidas vezes sem conta.tirando a propaganda inerente a esses punks politizados nao vejo nenhuma mudança.a verdade núa e crua é que nunca vão fazer a diferença nem mudar nada.é um beco sem saída,pelo caminho deixam para trás o mais importante ,boa música,diversão e boa disposição.é um gueto,um mundo de elites.
Se tens uma banda que fala de idas ás putas,de consumir drogas,de uma noite bem passada...e não abordas temas socialmente aceites por essa elite,és tido como um gajo sem cabeça,sem nada válido para dizer.
O que nao corresponde necessariamente á verdade.
punk rock é diversão,sempre foi e quem não entende isso não está no seu devido lugar.Formem seitas,associações,joguem á sueca no jardim,façam algo apropriado ás vossas mentalidades redutoras.


5-Então também és da minha opinião que o punk acabou por tornar-se numa antitese?

Concordo que a imagem do punk nao é das melhores e fruto dessa antitese é derivada dessses clichés que acabam por criar um estigma no punk.punk pra esse pessoal é ser anti fascista (entre outros) mas nesse prisma e a obcessão de converter pessoas e essa mania de perseguição acaba por se virar contra eles e acabam por revelar um comportamento idêntico áquilo que dizem lutar contra.
É como se eu gostasse de comer caracóis num domingo de páscoa e eu dissesse que o punk rock era isso e quem nao seguisse essa ideia,então,tava de fora.

6- Como entrou o punk rock na tua vida e como ves a evolução ou desevolução do punk em Portugal?


O punk rock entrou na minha vida curiosamente através da rádio.devia ter uns 13 anos quando ouvi 2 temas de ramones e achei logo aquilo o máximo.a partir daí,comecei a comprar discos,a descobrir novas bandas,foi amor "á 1ª vista".nao sei se posso falar em evolução do punk em portugal,as 1ªs bandas punk portugas eram mais descontraídas,das primeiras cenas mais politicas que apareceram foram os condenação pacifíca que era uma onda mais dos crass e conflict.
depois nos 90's sempre houve uma mistura,conflitos e essas merdas
hoje em dia tens bandas que nao têm saída em portugal porque nao há publico para elas,as pessoas querem muito ainda aquela onda do "faz isto-boicota aquilo),o que é uma pena porque o punk rock é que sai a perder.falta romper barreiras,quebrar tradições,foder esta merda toda...por assim dizer ehehheheeh

7-Achas que o punk tem que ser necessariamente político ,ou passa mais por uma forma de estar na vida o mais aparte possível do sistema?
Uma forma de ser e de estar ,contra tudo e contra todos,a pessoa ser ela própria ,pensar por ela própria,totalmente aparte dos moralismos,isto porque no próprio punk que é suposto ser livre,há muito moralismo e muitas barreiras criadas,que vão contra o própria essência do punk. O que tens a dizer sobre isto,corroboras da minha opinião?


-O problema do punk rock,sao precisamente os punks.
Não dá pra perceber porque é que o pessoal insiste em dizer que faz as melhores escolhas possiveis e pior: quer que os outros façam as mesmas que eles! para recrutar pessoas temos as instituições,punk rock é suposto ser uma alternativa,não andar praí a chatear outrém.se as escolhas pessoais deles sao as melhores,oh pa-felicidades.eu sei que não perco o meu
tempo a doutrinar ninguém,por melhor que a minha vida fosse.


8-O que achavas se se criasse uma confederacy of scum em Portugal?
Um colectivo onde as bandas e membros se apoiassem mutúamente e ajudassem na promoção dos seus trabalhos e actividades e houvesse ajudas monetárias ,leia-se donativos ás bandas para lançamentos das mesmas?



-Eu acharia muito salutar,até porque portugal teve sempre aquela onda dos amiguinhos e o resto que se foda.por outro lado,Portugal peca por muita tacanhez e medo de chocar.tem-se sempre muito medo de estar a ofender o próximo. "vamos falar mal do que é aceite falar mal",as pessoas interpretam tudo mal,se falas sem papas na lingua-és preconceituoso e o caralho.mas que faz falta uns disturbios
mentais,faz sim.


9-Quais as tuas bandas punk rock preferidas de todos os tempos ,e qual a que mais gostavas de ter tido chance de ver ao vivo?

Preferidas: os ramones,dead boys,pagans,undertones,dead kennedys,clash,ny dolls...inúmeras,tive oportunidade de ver os saints com direito a bebedeira de tequilla com o baixista de hanoi rocks e os stooges com direito a chuva dourada para os seguranças e público...actualmente gostava de ver os spits,que são das bandas actuais da minha preferência.

10- bandas nacionais preferidas do antigamente e do actualmente que queiras aconselhar os putos mais novos a conhecer?

Aconselho aqui del rock,speeds,ku de judas,crise total,uhf (do inicio),mata ratos,clockwork boys,savage city outlaws,the youths,hellspiders...os putos mais novos têm que ir á luta,estamos na era da informação em que tudo é acessivel,eu pra ouvir um disco d'antes e ficar a conhecer uma banda tinha q fazer das tripas coraçao,agora tá tudo a mão,por isso se gostam realmente de punk,rock n roll,vão
em busca,informem-se,auto-eduquem-se.
Nao existe escola em que se aprenda isto,é algo inerente á paixão pelo rock.

11-Diz-nos quais são as tuas leituras preferidas ,os teus filmes preferidos (visto que pareces apreciar bom cinema visto que na rawmantic radio usas muitas frases sacadas de filmes épicos), e os teus hobbies preferidos?

Há algum tempo que nao leio um livro..ehheeehheeh,gosto de Henry Miller e aconselho vivamente,desisti de ler porque interferia um pouco nas minhas ideias,gosto das coisas primitivas.se estou mais burro não sei,mas aprecio a minha espontaneidade e genuidade de ideias.quanto a filmes...o scarface,goodfellas,reservoir dogs,shining.
Bons filmes porno,o ultimo que vi foi, a mulher do dentista,a gaja principal
não era nenhuma bomba o que dá sempre uma dose de realidade Q.B. ao filme,o que é bom.ja reparaste que nos filmes porno há quase sempre aquela parte inicial que vês a gaja de eleição e não se passa nada,e ficas a mamar com fodas de 15 minutos que começam sempre com broche e acabam com a tipica esporradela na cara,e ficas a guardar a tesão para a tal gaja e assim que te vens..páras o filme.ehhehehe.
Mas se fores
dos bons,voltas á parte de onde paraste e siga pa frente.
Os hobbies,devo reconhecer que adoro ficar bebâdo.gosto de fazer as minhas javardices de vez em quando,tou a lembrar-me de andar uma vez num bar no algarve e ter ido mijar á rua e voltar com o piço de fora e só quando cheguei a casa é que senti o material dormente do frio.
E de resto sou um gajo normal que passeia a cadela na praia,vai ao minipreço e o caralho.

12-Queres deixar últimos comentários á escumalha que visita o meu blog?

Saudações para ti,um abraço.
Não se esqueçam que o sr . Jay Cobra vai ter mensalmente um programa na rawmantic sessions que promete arrasar.
Deixem-se de avaliar tanto as coisas e aproveitem mais a vida,vivam o rock n roll,aquela tal amiga que tu sentes tesão e fantasias nas tuas punhetas pode tornar-se realidade se saíres do armario,faz o que te der vontade,nao te prendas a ideias e ideais.nao uses malas
de serrapilheira á tiracolo,não deixes crescer a barba para teres ar de intelectual de esquerda,porque assim só vais engatar gajas que nao mamam bem ou nem mamam...etc...vivó punk rock.

LINK: http://www.rawmantic.podomatic.com/




MUITA FORÇA PRÁ RÁDIO QUE FALTAVA POR CÁ!!!

ABRAÇO

JAY COBRA


Etiquetas:

sábado, abril 15, 2006

ENTREVISTA Á BANDA FREEDOOM DO PORTO



1-Antes de mais obrigado pela entrevista concedida ao blog mais chunga de Portugal,pra começarmos as hostilidades,podias dar-nos uma breve história de quando se formaram e de como surgiu a ideia de formar os Freedoom?

giró:os Freedoom começaram em finais de 2001.Os Renegados de Boliqueime tinham acabado e achei que devia começar outra banda que continuasse a luta cá no porto..Já conhecia o rui e o oscar e convideios pra fazermos a banda juntamente com o nigger, nosso 1º baterista.Depois ouve algumas alteraçoes do line up e agora estao os 3 fundadores da banda na linha de fogo como um power trio...


2-Qual o material editado até aos dias de hoje?

giró:lançamos 3 cds pela puta punx disorganisation.Freedoom 2002, still remain..2004 e shut up and take the pain 2005.


3- Como tem sido a aceitação do pessoal á vossa música?

giró:penso que tem sido boa, ha tambem uma clara evoluçao na banda, o que mostra trabalho e dedicaçao pra quem nos quer ouvir.


4-Teem passado dificuldades como banda ao nível das edições,concertos,divulgação?

giró:hoje em dia é sempre complicado editar discos e vendelos.inflizmente muita gente saca musica da net de bandas underground que nao têm grandes ediçoes e depois sao capazes de pagar 20 euros por um cd na fnac.Mas conseguimos nos safar e vale a pena a luta..


5-Quantos concertos deram até hoje e quais os de que guardam melhores memórias?

Rui: Felizmente já demos concertos suficientes para perder a conta. Alguns que ficaram na memória foi quando tocamos com driller killer, com ratos de porao, quase todos que fizemos na tour em espanha e frança...


6-Para quem não sabe ,quais as vossas influencias musicais e quais as bandas preferidas de cada membro ?


Rui: acho q no inicio as influencias eram o punk mais cru de bandas ingleses e suecas dos 80's...neste momento as minhas bandas preferidas sao Severed Head of State, Ekkaia, Cop on Fire, Wolfbrigade, e outras cenas "neo-crust" da suecia.

giro:as bandas que gosto mais actualmente sao: disfear,ekkaia,wolfbrigade, tragedy, from ashes rise,cop on fire,e claro GBH...


7-Qual a banda com quem mais gostariam de dar um concerto,tanto a nível internacional como nacional? E como seria o concerto ideal dos Freedoom?

Rui: Internacional curtia tocar com qualquer uma das bandas q falei acima, cá em portugal com Deskarga Etilika, alem de serem das melhores bandas que tao ai, sao uns gajos do caralho e tambem Motornoise, pelas mesmas razoes. O concerto ideal para os freedoom é tocar em sitios punks, como em squats ou bares q atraiam punkalhada...quanto mais punk, melhor.

giró:amen brother...punx for punx


8-Quais as bandas nacionais que vcs teem seguido com mais atenção?

Rui: Deskarga Etilika, Alien Squad, Motornoise, Simbiose e agora q apareceram os Sem Cura.
giró:tambem os sodakaustica e fora de serviço .


9-Como veem a cena punk dos dias de hoje comparada com a de há uns anos atrás?

e mauRui: basicamente a merda é a mesma, apenas com um cheiro diferente. há bons tempos e maus tempos...como tudo.


10-Quais os concertos de outros grupos que até hoje vos ficaram melhor gravados na memória e de que guardam melhores recordações?

Rui: os melhores concertos q vivi, no dia a seguir ja nao me lembrava...principal sinal que foram mesmo bons! fora isso, guardo boas recordaçoes do concerto de sin dios, em q enchemos uma carruagem no comboio do porto pra lisboa e foi tudo a curtir.

giró:foram muitos, mas talvez quando vi osGBH a primeira vez em inglaterra em 94...


11-Vcs estiveram em tournée por França e por Espanha,querem nos contar um pouco de como foi essa tour?O pessoal aceitou-vos bem lá fora?

Rui: foi do caralho...a aceitação foi optima, e isso era o melhor q podia ter acontecido.

giró:como disse o rui foi muito porreiro, o pessoal aderiu bem ao nosso som e já estamos a pensar noutra tour....


12-Episódios cómicos e peripécias da viagem,algo para partilhar?

Rui: Nunca se metam em barcelona ou madrid de carro nas horas de ponta.
giro: e muito cuidado com a neve quando tens uma carrinha cheia de punx podres...


13- Querem deixar um comentário final aos leitores do rock nas cadeias?

Rui: Que saiam da frente do pc e vao para os concertos, ou pro tasco beber uns canecos. Obrigado pela entrevista. Boa sorte para o site e para a banda.

giró:nunca desistam da luta , a luta nao é facil mas é melhor que acomodar...poucos mas bons.... freedoom punx

Etiquetas:

Rock das Cadeias: Abril 2006
Get your own Box.net widget and share anywhere!