sábado, outubro 24, 2015

Clockwork Boys com uma versão demolidora do clássico Antisocial dos madrilenos Commando 9mm...

Clockwork Boys gravaram um novo álbum recentemente, onde se destaca uma versão dos punk rockers espanhóis dos anos 80 Commando 9mm.
O álbum tem saída prevista ainda para este ano, e o título ainda não sabemos ao certo. Quando tivermos mais pormenores divulgaremos na hora certa. No link abaixo podem ouvir o tema que fecha o álbum.

http://www.spreaker.com/user/marion_cobretti/clockwork-boys-antisocial-commando-9mm-v


O Alinhamento do álbum é:

Lado A

1-Patrulha do Purgatório
2-A um passo da Loucura
3-No fio da navalha
4-Filho da droga
5-Deusa do submundo

Lado B

6-Cobra Kai
7-Ela gostava de sado maso
8-Paulo Fruta
9-Código do silêncio (Omertà)
10-Antisocial (Commando 9mm)


As influências deste álbum são bastante diferentes do anterior, é um álbum mais trabalhado, mais pesado, e onde se nota mais as influências do hard rock australiano dos anos 70/80 bem como influências de Motorhead e Nashville Pussy do começo.
O álbum conta ainda com a participação de um convidado especial no tema a um passo da loucura, Miguel Newton dos infames Mata-Ratos.



*Foto tirada aquando do concerto na concentração motard da serra do Caldeirão deste ano.

terça-feira, outubro 20, 2015

Jà nas bancas !!!


Com um ano de atraso, mas chega ás mãos do director desta choça.
Já podem comprar o vosso em vermelho benfica ou verde sporting, basta pesquisarem onde, que é fácil orientar um.

domingo, outubro 18, 2015

Novo projecto Oi! (Guimarães)

 
 
 
 
 
A Batalha - "A Batalha" (7" EP, Estrela Negra, 2014) 
 
Vindos de Guimarães, uma cidade que não estamos habituados a ouvir nestes meandros Underground e muito menos no Oi!, A Batalha é uma nova banda Oi! composta por quatro Skinheads Anarco-Sindicalistas. Como o próprio nome indica, a designação da banda foi influenciada pelo jornal com o mesmo título de índole anarquista e libertário que surgiu no inicio do séc. XX, como órgão oficial da Confederação Geral dos Trabalhadores. 
O EP gravado e produzido em 2014 mas distribuído, a sério, em 2015 é ele mesmo um autêntico manifesto da Classe Operária, com banda sonora também ela working class, ou seja Streetpunk/ Oi! puro e duro. Mas engane-se quem julga que A Batalha cai em clichês e é apenas mais uma banda de 3 acordes e gritos de ordem. Os temas são bem estruturados e notam-se várias influências do mundo Punk, não só o Britânico mas também de outras paragens, nomeadamente das bandas italianas dos anos 80 e do streetpunk americano do inicio dos 90. O EP começa com o tema "A Batalha" com um feeling muito Oi! do inicio dos 80s; Menace ou Infa Riot vêm-nos à cabeça, mas com um solo final de guitarra mais "moderno". O segundo tema é "Tarrafal", com um início onde o baixo e a bateria num registo quase         post-punk suportam um sampler de um testemunho de quem sobreviveu ao referido cárcere. Refrão forte, bateria arrastada e mais um belo trabalho da guitarra solo. O lado B abre com "A Guerra Foi Declarada" que tem um registo mais UK82, riff a rasgar com um andamento na linha de Defiance na fase "No Future No Hope". A fechar em beleza uma versão de "A Cantiga É Uma Arma" de José Mário Branco, numa adaptação Streetpunk muito bem conseguida pela A Batalha. Rattus 2015

Clockwork boys convocados em Mangualde !!!


sábado, outubro 17, 2015

Novo projecto musical português


sexta-feira, outubro 09, 2015

Sábado de Doom Metal com os Jex Thoth!!!


Concerto com os Cardosos!!!


Pick your Cat !!!


Rock das Cadeias: Outubro 2015
Get your own Box.net widget and share anywhere!