terça-feira, dezembro 12, 2006

Les Baton Rouge

Os membros de Les Baton Rouge cresceram nos subúrbios de Lisboa, com muita vontade mas sem meios para fazer. Eles perderam grande parte do seu tempo a atirar televisões "retro" / antigas de pontes.Tudo correu bem, mas não foi o suficiente. Por isso no fim de 1998 juntaram-se para formarem uma banda Punk/New Wave que cativou de imediato a atenção de putos punk e da polícia.

Depois de realizarem consecutivas tours em Portugal, os Les Baton Rouge abandonaram o seu universo minúsculo e mudaram-se para Berlim no ano de 2003. Todos eles tocaram noutras bandas desde 1994, como Everground ou Kiute Loss, mas, só mais tarde, com os Les Baton Rouge viriam a realizar tours mundiais, incluindo duas tours europeias e três americanas, tendo marcado passagem por festivais como SXSW (Texas) ou clubes como o CBGB's (New York), Maxwell's (Hoboken), Silver Lake Lounge (L.A.) e Crocodile Café (Seattle), assim como vários programas de televisão como Chic-go-go (Chicago), Fearless Music (New York), Texas Live TV (Texas). Fizeram também performances para a rádio ambos nos Estados Unidos e na Europa. Les Baton Rouge tocaram também em sítios que se descontextualizam do punk, tais como bibliotecas, «strip clubs», prisões e instituições psiquiátricas. Já partilharam o palco com inúmeros artistas: Sylvain Sylvain (New York Dolls), Marky Ramone (Ramones), Jello Biafra (Dead Kennedys), Dick Dale, Tim Kerr (Big Boys), Kat Bjekland (Babes in Toyland), The Hives, NOFX, Joan Jett, Franz Ferdinand, Toy Dolls, Sonny Vincent, The Briefs, Boom Boom Kid... O seu último disco, "My Body - The Pistol", editado em 2004 pela Elevator Music (USA), conta com a colaboração e produção do lendário "Tim Kerr" e foi directamente para o CMJ American Charts. A banda descreve o seu som como " um murro dado a um amigo com o intuito de acordá-lo de uma terrível catatonia" e o seu show como " uma performance em tempo real". A destruição está em todo o lado, a nossa volta e eles são uma parte dela. A audiência usualmente fica caótica e mostra a sua existência. Dançar com a multidão fora do palco e criar a catástrofe dá-lhes uma prazer enorme. Por isso, se vocês tiverem problemas de saúde não apareçam no concerto, porque as suas canções imitem descargas eléctricas directamente no coração. Para todos os outros tenham cuidado, eles tem o poder de usar o teu corpo como um joystick sem usarem o guia de instruções primeiro.



Lótus Mecânica

Formados no bom ano de 2006, com a intenção de tocarem para o próprio diabo, quatro meninos do deserto que falam sobre motos, jornadas de motos, raparigas, gatos e gatinhos, bons amigos, maus amigos,«pistoleros», bebedeiras e cigarros «booze&cigarettes»)

Os rapazes são:"Screaming Billy - Vocals, Kazoo&Motorbikes"(aka Guido, Billy Boy, Vintage Racer, The pistolero). O último parvo a entrar para a banda, nasceu nos subúrbios da capital...o que gosta mais de fazer é acordar e andar na sua mota.

"Tony Balboa - Bass & Cramped Fingers"(A.K.a Xuxo, Loverboy, Nieves).

Tony Balboa, um dos co-fundadores dos Lótus, nasceu perto do centro da capital. O que gosta mais de fazer é acordar ao meio-dia e observar os aviões em voo. "Flash- Drums &Black Cats" (A.k.a Lex, Baldrich The looser, Astonishing Sleeper) Outro fundador dos Lótus, nasceu dentro das paredes da capital. A coisa preferida do Flash é esperar por revoltas cor-de-rosa e gatos pretos.

SOLICITAMOS A DIVULGAÇÃO DO EVENTO E AGRADECEMOS ANTECIPADAMENTE TODA A ATENÇÃO DISPENSADA

+info
www.porto-rio.com
www.myspace.com/barcoportorio

www.myspace.com/lesbatonrouge

www.myspace.com/lotusmecanica

quinta-feira, dezembro 07, 2006

Rock das Cadeias: Dezembro 2006
Get your own Box.net widget and share anywhere!