terça-feira, fevereiro 26, 2013

Fim de semana punk-rock em Lisboa

Review ao concerto dos Club Sin ( Ass. Fantasma Lusitano 23 de Fevereiro)


Noite de romaria, noite de loucura, noite de excessos.
Estava dado o mote para o concerto de sábado dos Club Sin.
Uma casa cheia e um longo emaranhado de gente pecadora ao longo do balcão do bar.
Abrem-se as cortinas e o reverendo Bruto com a sua bengala da morte saúda os fiéis e dá início a uma noite selvagem de rock n´roll.Duas bailarinas de burlesco junto do palco compunham o ramalhete do clube pecador. Ao longo de aproximadamente uma hora e meia, a banda brindou-nos com o seu reportório variado, com temas catchy e cativantes e até algum punk rock presente na guitarra em alguns temas. A entrada de Pedro Coelho, guitarrista com passagens por Mata-Ratos, banda da qual foi fundador e também ele membro dos Anti-Clockwise, trouxe alguma guitarrada "clasheira" à banda.O som dos Club Sin é feito no garage e o farfisa empresta também algum "psych" à sua música, dá para sentir alguma  descendência dos "13th Floor Elevators do Roky Erickson".
Em suma, os Club Sin são uma banda de rock n´ roll psicadélico em pleno século XXI.
O "grand finale" reservou-nos danças bizarras motivadas pela mistura de alcóol e rock. 
O sangue estava quente e a prova disso é eu não me recordar de chegar a casa. 
Na manhã seguinte, deve ter havido bastante malta a cuspir catarro, aquela noite boémia foi de muito fumo e pinga. Mais uma vez, fica aqui um agradecimento público á Associação Fantasma Lusitano, por proporcionar-nos estes momentos únicos. 
 
*Nota Final: A primeira parte do concerto esteve entregue ao Charles dos La Chanson Noire.   Um concerto num formato mais intimista e apenas acompanhado de um orgão, entreteu e aqueceu um público boémio e ávido de rock n roll com as suas canções negras.

Artigo: Marion Cobretti

Créditos da Foto:  João "Pudim" 

 Links:    

http://www.facebook.com/clubsin.pt   / 

http://www.facebook.com/chansonnoire?ref=ts&fref=ts


sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Club Sin de regresso aos concertos este sábado na Associação Fantasma Lusitano


Este concerto conta ainda com a participação especial de La Chanson Noir

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Review ao concerto dos Erro! na Associação Fantasma Lusitano

Sábado passado, fui a um concerto um bocadinho diferente do habitual que costumo ver na já conhecida e nobre Associação Fantasma Lusitano no Bairro Alto.
Fui transportado, ou teleguiado para a década dos anos 80 e para a onda de muitas daquelas bandas alternativas que frequentavam regularmente o mitíco Rock Rendez Vous, e que foram editadas pela editora do João Peste, a Ama Romanta.
A banda que se apresentava em palco dava pelo nome de Erro!
Desconhecia este projecto, mas gostei de ver que ainda existem algumas pessoas mais velhas que certamente terão vivido os anos 80 e que ainda mantêm vivo algum desse espiríto.

Os Erro!  são uma banda que possui grande parte do seu "Adn" na cena musical portuguesa dessa década. Ao ver e ouvir os Erro! em concerto vêm-nos logo nomes de bandas à cabeça como os Mão Morta, os Pop dell Arte ou ainda os Ocaso Épico. 
Gostei de conhecer esta banda ao vivo, uma banda autêntica e até algo descomprometida e despida de preconceitos musicais ou clichés a nível estético.  
Os Erro! são uma banda que tanto pode juntar alguma depressão na sua música, como pode juntar alguma altivez  e rebeldia ou até mesmo uma dose certa de esquizofrenia musical durante alguns momentos.  Por tudo isto que vos descrevo,  na minha humilde opinião, acho que não foi um Erro! eu  ter ido ao concerto deles. 
Os Erro! estão de parabéns, por serem uma banda com uma línguagem própria nos tempos que correm. 
Mereciam ter tido mais público, para ouvir a narrativa cantada das suas histórias...

João Palma, baixista e vocalista dos Erro!

Texto e fotos por Marion Cobretti

Mais uma sugestão para o fim de Semana no Algarve


quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Festa de lançamento do 7 " EP de estreia dos Asas da Vingança em Faro !!!


Este concerto conta ainda com os veteranos Mata Ratos e com o punk rock dos Psycho Tramps

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Filme Blank Generation



http://en.wikipedia.org/wiki/The_Blank_Generation

Um filme que conta com a participação de várias pessoas ligadas ao movimento punk rock americano, entre as quais está Richard Hell. 
Blank Generation é inclusive o título de uma canção e de um álbum deste artista punk. 

O mais recente documentário sobre o rock radical basco


terça-feira, fevereiro 12, 2013

Banda do dia : HOOKER



«Hooker had been around in various configurations since 1972. First recordings began in 1974 at Rampart Studios under the direction of studio engineer Jeff Wells. Those early demos featured Hooker as a three piece hard rock/blues rock band, it wasnt until later that they began to take a decidedly heavier approach in sound and style. With the addition of Robert Hampton in place of Tim Cannon on lead/rhythm guitar, the band began to find their direction and hit the clubs hard. Influenced by bands such as Tin House, Ted Nugent, and Black Oak Arkansas, Hooker had it all on stage - flash, great songs, lots of groupies, and of course all the best drugs! Well, that couldn´t last, and the band called it a day in 1983 when the lifestyle finally caught up to David Howland. The other members soldiered on in various reconstructed versions of Hooker, with varying degrees of success. The short lived post Hooker band Stallions was a highlight, with all the same elements of Hooker including three of the four members. Eventually, David would rejoin the band and Stallions became Hooker for all intents and purposes. Unfortunately, the music world had changed too dramatically since the days when a band could play the kind of loud, aggressive, dual guitar riff-rock that Hooker so convincingly played. This record represents the pinnacle of the band, the long lost 1978 Inergi Studios recordings that never saw official release all those years ago.» in  http://rockin-hood.blogspot.pt/2012/03/hooker-rock-roll.html

segunda-feira, fevereiro 11, 2013

As Anarchicks vão andar por aí à solta nas Fnac´s...


clica na foto para ampliar

sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Psycho Tramps ao vivo no Fantasma Lusitano ontem à noite. (Review do concerto)



Ontem era a noite de estreia em Lisboa, na associação Fantasma Lusitano no Bairro Alto, da banda de garage punk algarvia Psycho Tramps.
Uma banda que mistura os sons do garage rock com o punk rock dos 70s.
Os Psycho Tramps trouxeram a lição bem estudada e sabiam ao que vinham.
Têm estado bastante activos nos ultimos tempos e os concertos aqui e ali têm-se sucedido.
Apresentaram-nos uma setlist equilibrada que começou com uma intro para entrar logo de seguida em palco o vocalista Miguel Roque e cantar o primeiro tema "it´s dead"  que podia muito bem ser " it´s Daddy" ou "Here´s Daddy". hehehe
Seguiram-se  "never change" e as já conhecidas "Stevie" e "She waves goodbye".
Seguiu-se uma cover bem balanceada do clássico "I Need a Slave"dos britânicos Vibrators, e logo de seguida mais uma original, "love bus".
O vocalista Miguel Roque tem uma boa presença e atitude em palco e é um vocalista com carisma que sabe interagir com o público e cativá-lo.  Também tem "Rock" no nome, é por isso se calhar.
Seguem-se "Before my fall" e logo em seguida mais uma versão, desta vez do tema "bad attitude", de uma das grandes bandas do punk rock americano dos setentas, The Testors.
Testors são uma das minhas bandas preferidas de punk rock, por isso agradeço imenso terem-me dedicado o tema. 
Seguiram-se mais alguns originais, "The boys" e a conhecida "I´ve met Satan", "No God" e "Rock N Roll till We die", com  o vocalista a desafiar o público para participar do tema.
Terminaram com o clássico "What do I get?" dos grandes de Manchester, Buzzcocks.
E ainda repetiram mais uma original da setlist porque ainda sobravam uns poucos minutos para isso.
Meia noite em ponto, e a associação recebe a visita de um polícia municipal fardado e mal encarado a avisar-nos que a festa tinha de acabar.
O nosso país chegou a este ponto, em que a liberdade e a democracia se confundem com valores de outros tempos idos.

É realmente uma pena a polícia não nos deixar conviver uns com os outros depois do concerto, neste espaço convidativo e que tem tudo para se tornar num ex-libris do underground português. As leis de nada servem, a não ser para proteger os interesses dos maiores.
Estas medidas opressivas que a polícia tem vindo a tomar contra as associações no Bairro Alto são ilegais.
Por ultimo, o vocalista Miguel Roque confidenciou-me que a banda de momento se encontra em estúdio a preparar a gravação de novos temas. Hoje à noite a banda repete o cardápio no Barreiro.

Podem saber mais pormenores acerca da campanha da CML contra as associações no B.Alto através deste link do jornal I : 
  
http://www.ionline.pt/boa-vida/esta-aberta-guerra-entre-camara-lisboa-associacoes
 

Créditos da Foto: Ana Sod

segunda-feira, fevereiro 04, 2013

Psycho Tramps com data marcada em Lisboa também:


Esta próxima quinta-feira dia 7 de Fevereiro, os Psycho Tramps vão dar um concerto na associação Fantasma Lusitano no Bairro Alto e no dia seguinte também actuam no Barreiro no Pub Casa Velha.
Os Psycho Tramps são uma banda recente de punk rock da região do Algarve e com algumas influências do punk rock britânico de 77. No seu reportório ainda trazem  uma versão do tema what do i get? dos inconfundíveis Buzzcocks.  Este é um concerto para todos os aficionados do punk rock marcarem presença !!!

http://www.facebook.com/PsychoTramps?ref=ts&fref=ts

sábado, fevereiro 02, 2013

Um documentário interessante sobre o pai do rock brasileiro.

sexta-feira, fevereiro 01, 2013

Breve História do Heavy Metal português em livro


- O preço de pré-lançamento é de 14€ (portes incluídos),

- o livro vai estar disponível para envio no final de Fevereiro;

- o pagamento pode ser efectuado através de transferência bancária ou paypal;

- as pré-encomendas devem ser feitas para causadasregras@gmail.com
Rock das Cadeias: Fevereiro 2013
Get your own Box.net widget and share anywhere!